Bolsas de NY devem abrir com ganhos

As bolsas de Nova York devem abrir em alta nesta quarta-feira, mais uma vez influenciadas pelas negociações para evitar o abismo fiscal. A expectativa de Wall Street é de que um acordo seja fechado em breve, depois das propostas e contrapropostas de democratas e republicanos nos últimos dias. Às 12h15 (de Brasília), o Dow Jones futuro subia 0,29%, o Nasdaq ganhava 0,37% e o S&P 500 tinha valorização de 0,30%.

Na troca de propostas entre democratas e republicanos, o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, falou nesta terça-feira (18) de um "plano B" para evitar o abismo fiscal, que seria votado no Congresso ainda nesta semana. Representantes dos democratas disseram em seguida que não concordam com um "plano B". Boehner argumentou ainda que a proposta apresentada por Barack Obama não parece "equilibrada", mas afirmou que as negociações prosseguem.

Para os analistas do HSBC, se um acordo for fechado, o mercado vai se mover na direção de tomar mais risco nas bolsas. Mas eles ponderam que um acordo entre Obama e Boehner não quer dizer que o plano vá imediatamente passar no Congresso. Pode ser necessária uma nova rodada de negociações, para o líder dos republicanos convencer seus colegas a aceitarem a proposta e o mesmo entre as lideranças democratas e seus membros no Congresso.

Entre os indicadores da economia norte-americana, dados sobre o mercado de construção civil referentes à novembro foram divulgados nesta quarta-feira. As permissões para novas obras subiram 3,6%, acima do consenso dos economistas, que previam alta 1,2%. Já as construções de moradias iniciadas caíram 3%, ante expectativa que fossem cair 3,2%, segundo pesquisa da Dow Jones com analistas.

No mundo corporativo, um dos destaques de alta é o papel da General Mortos, que subia 8,51% às 12h15 no pré-mercado, por causa de uma notícia que vinha sendo aguardada por investidores. O Tesouro americano anunciou que vai vender o restante das ações que tem da montadora nos próximos meses. A empresa deve recomprar parte delas e o restante será colocado no mercado. No total, o Tesouro investiu US$ 49,5 bilhões na GM, para evitar sua falência durante a crise financeira mundial iniciada em 2007.

Já a FedEx divulgou nesta quarta queda no lucro de 12% no segundo trimestre fiscal, devido aos efeitos do furacão Sandy. O ganho ficou em US$ 438 milhões, abaixo dos US$ 497 milhões de um ano atrás. Na segunda-feira (17), a companhia divulgou que bateu recorde de envios de encomendas neste mês de Natal, graças ao crescimento do comércio eletrônico. No pré-mercado, o papel da empresa avançava 0,75% no horário citado acima.

O destaque de queda é a Pfizer, que deve demitir 600 pessoas de sua equipe de vendas, de acordo com informações de fontes divulgadas pela imprensa. O corte está dentro de um programa de redução de custos da empresa. A ação da companhia caía 0,16% no horário citado acima.

Carregando...