Mercado fechará em 3 h 21 min

Bolsas de NY avançam, com Nasdaq a 4 pontos da máxima histórica

André Mizutani e Gabriel Roca

Índices reagiram ao dado inesperado do mercado de trabalho americano, o chamado payroll, divulgado pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos Os índices acionários de Nova York fecharam em alta acentuada nesta sexta-feira (5), após a divulgação de dados surpreendentemente positivos do mercado de trabalho americano, o chamado "payroll".

De acordo com o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, o país criou 2,5 milhões de vagas de trabalho em maio, levando a taxa de desemprego no país para 13,3%, de 14,7% em abril. Os números contrariaram as expectativas de consenso, com os economistas consultados pelo "Wall Street Journal" tendo projetado o fechamento de 8,33 milhões de vagas e taxa de desemprego a 19,5%.

Em meio ao otimismo, o índice Nasdaq fechou em alta de 2,06%, a 9.814,08 pontos, apenas 4 pontos abaixo da máxima histórica alcançada em fevereiro, antes da crise. O Dow Jones fechou em alta de 3,15%, a 24.110,98 pontos, e o S&P 500 subiu 2,62%, a 3.193,93 pontos. Na semana, o Dow Jones acumulou ganhos de 6,81%, o S&P 500, de 4,91%, e o Nasdaq, de 3,42%.

"Para o mercado, o mais importante nunca é o nível. O importante é a direção, se as coisas estão piorando ou melhorando. O que está acontecendo agora é que as coisas estão ficando menos ruins. O 'payroll' foi uma surpresa positiva e confirma essa tese", afirmou ao Valor a estrategista global do J.P. Morgan Asset Management, Gabriela Santos.

A estrategista, no entanto, ainda recomenda cautela, já que a recuperação da economia não deve ser tão rápida quanto a observada nos mercados financeiros. "Para mim, a definição de recuperação em V é que a recuperação seja tão rápida quanto a queda". Segundo ela, não é isso o que deve ocorrer, já que a recuperação para os níveis observados em 2019 só deve acontecer no fim de 2021 e, para algumas regiões, apenas em 2022. "Isso, para nós, tem mais cara de uma recuperação em U."

Ações de aéreas americanas fecham em alta com otimismo sobre retomada de voos

As ações dos setores industrial (+10,52% na semana) e financeiro (+12,16%) novamente deixaram para trás os ganhos do setor de tecnologia (+3,65%), que foi o principal motor de crescimento nos últimos anos. Na sessão, o setor industrial fechou em alta de 3,71%, o financeiro, de 3,87%, e o de tecnologia, de 2,69%.

"O setor de tecnologia trouxe as ações até aqui. Os outros setores estão começando a recuperar a diferença. As companhias de varejo eletrônico já ganharam muito e setores como varejo também estão começando a se recuperar", diz Norberto Zaiet, fundador da Picea Value Investors.