Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.964,21
    +67,62 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

Bolsas de NY avançam com alta de Trump e aposta em estímulos fiscais

Gabriel Roca
·3 minutos de leitura

Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o Dow Jones encerrou a sessão em alta de 1,68%, o S&P 500 avançou 1,80% e o índice eletrônico Nasdaq terminou o dia em valorização de 2,32% Os índices acionários em Nova York encerraram a segunda-feira (5) em alta forte, com os investidores refletindo o anúncio do presidente americano, Donald Trump, de que deixará o hospital no início da noite de hoje e ampliando as expectativas por um novo pacote de estímulos fiscais nos Estados Unidos. Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o Dow Jones encerrou a sessão em alta de 1,68%, aos 28.148,64 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 1,80%, a 3.408,60 pontos. O índice eletrônico Nasdaq terminou o dia aos 11.332,49 pontos, em valorização de 2,32%. Os ganhos dentro do S&P 500 hoje foram generalizados, com os 11 setores que compõem o índice amplo registrando altas expressivas. Os destaques foram os papéis de energia (+2,90%), tecnologia (+2,27%) e saúde (+2,09%). Após notícias contraditórias sobre o seu estado de saúde ao longo do fim de semana, Trump afirmou, hoje, em seu perfil do Twitter que deixará o hospital ainda nesta segunda-feira. A perspectiva alivia parcialmente os temores políticos relacionados à gravidade da doença do presidente. Ao mesmo tempo, a piora para Trump nos números das pesquisas de intenções de voto, na corrida contra o candidato democrata, Joe Biden, pode ampliar as chances de a Casa Branca e os republicanos no Congresso fazerem mais concessões para chegar a um acordo com os democratas sobre uma nova rodada de estímulos fiscais no país. "Trump precisa ganhar muito terreno para sair vitorioso no próximo mês e pode aceitar os termos dos democratas para o próximo pacote de estímulo fiscal. Neste ponto, Trump precisa fazer todo o possível para ganhar votos e um novo acordo de estímulo pode ser seu próximo movimento", afirmou o analista-sênior de mercados da corretora Oanda, Edward Moya. Além disso, parte dos analistas veem a vantagem crescente de Biden com o potencial de diminuir as perspectivas de um resultado eleitoral contestado em 3 de novembro, aliviando outro fator de incerteza para os investidores. No cenário macroeconômico, dados sobre a economia americana também reforçaram o otimismo para ativos de risco. O Instituo para a Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) disse que seu índice de atividade entre as empresas do setor de serviços subiu para 57,8 no mês passado, de 56,9 em agosto. Leituras acima de 50 pontos representam expansão da atividade. O subíndice de emprego também avançou, superando os 50 pontos pela primeira vez em seis meses. As ações da Regeneron Pharmaceuticals avançaram 7,13%, após a Casa Branca ter afirmado, na última sexta-feira (2), que o presidente recebeu uma dose de oito gramas do coquetel de anticorpos da empresa como medida de precaução. "Se o líder do 'mundo livre' está tomando uma droga experimental, isso pode significar que os desenvolvedores podem ser capazes de levar adiante as terapias contra a covid-19 mais cedo do que o esperado", disse Robert Pavlik, estrategista-chefe de investimentos da SlateStone Wealth, ao MarketWatch. As ações da MyoKardia subiram 57,84% depois que a Bristol Myers Squibb (+0,82%) disse que compraria a empresa de biotecnologia em um negócio de US$ 13,1 bilhões, com o objetivo de expandir sua linha de medicamentos para o coração.