Mercado abrirá em 6 h 53 min

Bolsas de NY ampliam quedas após acionarem mais uma vez o circuit breaker

André Mizutani

Os índices acionários de Nova York acionaram o circuit breaker pela terceira vez desde a semana passada, interrompendo as operações por 15 minutos depois que o S&P 500 perdeu mais de 7%, ao abrir já em queda de 8,14%. Os índices interromperão as operações novamente por 15 minutos caso o S&P 500 chegue a cair 13%.

Por volta das 11h30 (horário de Brasília), o Dow Jones operava em queda de 9,61%, a 20.958,67 pontos, enquanto o S&P 500 subia 9,22%, a 2.461,79 pontos, e o Nasdaq cedia 9,06%, a 7.161,74 pontos.

A onda de vendas de ações segue na esteira do segundo corte de juros emergencial do Federal Reserve (Fed, o BC americano), no domingo, que levou a meta de juros de referência à faixa entre 0% a 0,25%. Além de cortar os juros, o Fed disse que compraria US$ 700 bilhões em títulos soberanos e títulos hipotecários, e cortou também a taxa cobrada dos bancos para empréstimos emergenciais de curto prazo.

O corte de juros não foi bem recebido, com os investidores interpretando o movimento como um sinal de desespero.

"Conforme a escala dos distúrbios econômicos e nos mercados financeiros causados pelo coronavírus se tornam mais claros, parece provável que os investidores vão começar a questionar cada vez mais se as autoridades financeiras já esgotaram a sua capacidade de resposta", disse em nota Neil Shearing, economista-chefe da Capital Economics.

Shearing aponta que "a capacidade dos bancos centrais e governos de 'colocar um piso' sob o mercado acionário é limitado", mas que o Fed e outros bancos centrais ainda têm ferramentas para lidar com outros problemas, sobretudo em impedir uma séria falta de liquidez nos mercados financeiros.

Todos os setores do S&P 500 operam firmemente em terreno negativo, com as ações do setor financeiro (-12,59%) liderando as perdas na sessão, com a perspectiva de que o novo corte de juros prejudicará ainda mais os lucros dos bancos americanos.

Na sexta-feira passada, os índices americanos apagaram a maior parte das perdas do dia anterior - que foi a pior sessão em Wall Street desde 1987 - após o presidente americano, Donald Trump, declarar estado de emergência nos EUA. O Dow Jones fechou em alta de 9,36%, a 23.185,62 pontos, o S&P 500 subiu 9,29%, a 2.711,02 pontos, e o Nasdaq avançou 9,35%, a 7.874,87 pontos. Com os ganhos, apenas o Dow Jones acumulou perdas de mais de 10% na semana passada.