Mercado abrirá em 3 h 3 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,81
    -0,47 (-0,77%)
     
  • OURO

    1.710,40
    -5,40 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    48.945,56
    -1.864,21 (-3,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,13
    -6,08 (-0,62%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.605,97
    -69,50 (-1,04%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.594,75
    -87,00 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7699
    -0,0088 (-0,13%)
     

Bolsas mundiais registram alta com posse de Biden como presidente dos EUA

·2 minuto de leitura
As principais bolsas mundiais fecharam em alta nesta quarta-feira com a posse de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, impulsionadas em parte pelas medidas de estímulos propostas pelo novo presidente para enfrentar a pandemia

As principais bolsas mundiais subiram nesta quarta-feira (20) com a posse de Joe Biden como 46º presidente americano, impulsionadas em parte pelas medidas de estímulo propostas pelo novo chefe da Casa Branca para enfrentar as consequências da pandemia do novo coronavírus.

Wall Street operava no azul nas transações do meio-dia com o Dow Jones em alta de 0,6%.

Frankfurt subiu quase 0,8%, Paris fechou em alta de 0,5%, e Londres avançou 0,4%.

A Ásia teve uma sessão positiva no começo do dia.

No entanto, o euro se depreciou perante o dólar, diante da preocupação com a crise política na Itália e à espera das decisões sobre as taxas de juros do Banco Central Europeu.

"Os mercados europeus (estão) reagindo com otimismo, pois a posse de Joe Biden significa o fim de um período de quatro anos marcados pelo Brexit e a incerteza no comércio mundial", disse o analista do IG, Joshua Mahony.

"Com (o ex-presidente Donald) Trump e a perspectiva das negociações do Brexit no retrovisor, os mercados esperam quatro anos de maior estabilidade e menor incerteza", acrescentou.

"A nova administração busca começar com planos muito ambiciosos para lutar contra a pandemia e os danos econômicos que causou", disse Craig Erlam, analista na Oanda.

Na terça-feira, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, esteve perante os senadores durante sua sessão de confirmação e pediu a eles para aprovarem o novo pacote de gastos da administração americana para enfrentar a crise.

Ela também confirmou a intenção de continuar pressionando a China.

O nomeado secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse aos senadores em separado que embora pense que "Trump estava correto ao aplicar uma abordagem mais dura com a China... Discurso muito na forma como atuou em diversas áreas".

Confira os principais índices:

Nova York - Dow: opera em alta de 0,6% a 31,117.49 pontos

Londres - FTSE 100: subiu 0,4% a 6,740.39 (fechamento)

Frankfurt - DAX 30: subiu 0,8% a 13,921.37 (fechamento)

Paris - CAC 40: subiu 0,5% a 5,628.44 puntos (fechamento)

Tóquio - Nikkei 225: baixou 0,4 a 28,523.26 (fechamento)

Hong Kong - Hang Seng: subiu 1% a 29,962.47 (fechamento)

Xangai - subiu 0,5% a 3,583.09 puntos (fechamento)

burs-rl/wi/rl/eg/mvv