Mercado fechará em 4 h 29 min

Bolsas europeias fecham sem direção única com novos receios sobre Brexit

Rafael Vazquez

Temor é que Reino Unido complete saída da UE antes de fechar acordo comercial com bloco As principais bolsas europeias fecharam sem direção única nesta terça-feira, mas a sessão foi marcada principalmente pela aversão ao risco diante da iniciativa do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, de tentar bloquear qualquer possibilidade de extensão do período de transição pós-Brexit para além de dezembro de 2020, o que gera receios de que o Reino Unido complete a retirada da União Europeia (UE) antes que consiga forjar um acordo comercial com o bloco, trazendo novamente para o cenário o risco de um “Brexit duro”.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600, que renovou seu recorde histórico na véspera, fechou o pregão de hoje em queda de 0,68%, a 414,92 pontos. Em conjunto, as ações do setor bancário caíram 0,77% e as do setor financeiro recuaram 0,97%, reagindo negativamente às incertezas do Brexit.

“Qualquer um que esperasse que a eleição [da semana passada] traçasse uma linha sob o Brexit estava tristemente enganado. Os próximos 12 meses serão outra série de negociações dolorosas, durante as quais o risco de um Brexit na OMC é regular e ferozmente debatido, tanto no Parlamento quanto nas notícias. Ainda não acabou e os investidores estão começando a se preocupar um pouco, mais uma vez”, disse o analista da corretora Oanda na Europa, Craig Erlam.

O FTSE 100, da Bolsa de Londres, fechou em leve alta de 0,08%, mas devido sobretudo à forte queda da libra, que caiu mais de 1% sobre o dólar e também frente ao euro durante o pregão - o índice londrino é bastante influenciado por multinacionais exportadoras que se beneficiam quando a libra cai.

Entre os índices nacionais, o DAX, referência da Bolsa de Frankfurt, encerrou a jornada em queda de 0,89%, a 13.287,83 pontos. O CAC 40, da Bolsa de Paris, caiu 0,39%, a 5.968,26 pontos, e o Ibex 35, da Bolsa de Madri, recuou 0,67%, a 9.615,90 pontos.

O FTSE MIB, da Bolsa de Milão, subiu 0,45%, a 23.630,77 pontos.