Mercado abrirá em 6 h 23 min
  • BOVESPA

    120.705,91
    +995,88 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,76
    -0,06 (-0,09%)
     
  • OURO

    1.830,80
    +6,80 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    49.212,98
    -1.742,23 (-3,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.358,75
    -29,15 (-2,10%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    6.963,33
    -41,30 (-0,59%)
     
  • HANG SENG

    27.987,70
    +269,03 (+0,97%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.170,25
    +70,00 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4272
    +0,0147 (+0,23%)
     

Bolsas europeias fecham no azul com resultados corporativos, ruído sobre M&A

Sruthi Shankar e Susan Mathew
·2 minuto de leitura
.

Por Sruthi Shankar e Susan Mathew

(Reuters) - As bolsas europeias se recuperaram nesta quarta-feira, com o otimismo sobre uma temporada de fortes resultados corporativos neutralizando preocupações sobre um rápido aumento nos casos de Covid-19 em alguns países.

O índice pan-europeu STOXX 600 subiu 0,65% após um rali de sete semanas desencadear um movimento de realização de lucros, que fez o índice cair 1,9% na terça-feira. O índice FTSEurofirst 300 avançou 0,78%, a 1.681,93 pontos.

As ações de saúde responderam pelo principal suporte ao STOXX 600, com a farmacêutica suíça Roche avançando 3% depois de prever um aumento na demanda por seus medicamentos para o resto de 2021.

A fabricante de equipamentos de semicondutores ASML valorizou-se 4,1% depois de aumentar sua previsão de vendas para o ano inteiro, citando uma forte demanda em meio a uma escassez global de chips de computador.

Os lucros das empresas europeias devem registrar um aumento recorde de 61% no primeiro trimestre de 2021, com base nos dados do IBES Refinitiv.

Nesta quarta-feira, a União Europeia também superou um dos últimos grandes obstáculos para lançar um fundo de recuperação de 750 bilhões de euros.

A Hugo Boss saltou 6,7%, com operadores citando uma reportagem sobre o interesse de compra da empresa de moda alemã, incluindo da fabricante de produtos de luxo francesa LVMH.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 0,65%, a 436,64 pontos.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,52%, a 6.895,29 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,44%, a 15.195,97 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,74%, a 6.210,55 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,30%, a 24.161,38 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,71%, a 8.519,80 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,11%, a 4.953,18 pontos.