Mercado abrirá em 3 h 10 min

Bolsas europeias fecham em alta após absorver retaliação do Irã aos EUA

Rafael Vazquez

Índices aceleraram nos últimos minutos de pregão, acompanhando reação de NY ao início do pronunciamento de Trump, que reduziu temores de conflito aberto As principais bolsas da Europa fecharam a sessão desta quarta-feira em terreno positivo, depois que os investidores absorveram o ataque retaliatório do Irã a duas bases americanas no Iraque na noite de terça-feira (horário de Brasília). Os índices operaram em queda no começo do dia, mas em seguida prevaleceu a avaliação de que as tensões atuais entre Estados Unidos e Irã já atingiram o pico e não haverá uma guerra aberta no Oriente Médio.

Minutos antes do fechamento no continente, o presidente americano, Donald Trump, iniciou o pronunciamento oficial após a retaliação de ontem do Irã e reforçou a expectativa de que nenhum dos dois países pretende se engajar em um conflito aberto, o que intensificou a queda nos preços do petróleo, levou o ouro a operar no negativo e deu um impulso final às bolsas europeias, que acompanharam a aceleração dos índices de Nova York até onde foi possível.

Após fala de Trump sobre Irã, Bolsonaro diz não pode se omitir

Ibovespa melhora desempenho e dólar cai após fala de Trump

“Não queremos usar nosso poder militar, mas ele está disponível”, declarou Trump, cantando vitória por ter matado o general da Guarda Revolucionária do Irã Quasem Soleimani em um ataque aéreo no Iraque na semana passada e afirmando que os EUA não registraram danos intensos ou vítimas após os mísseis iranianos disparados ontem. “Devemos fazer um acordo com o Irã que garanta paz mundial”, comentou em um trecho do discurso.

Assim, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,17%, a 418,19 pontos. O DAX, índice de referência da Bolsa de Frankfurt, acelerou nos últimos minutos e encerrou a jornada com valorização de 0,71%, a 13.320,18 pontos, enquanto o CAC, da Bolsa de Paris, avançou 0,31%, a 6.031,00 pontos, e o FTSE 100, da Bolsa de Londres, subiu 0,01%, a 7.574,93 pontos. Na Bolsa de Milão, o FTSE MIB fechou com ganho de 0,46%, a 23.832,02 pontos.

Na Espanha, onde o primeiro-ministro Pedro Sánchez finalmente conseguiu formar um novo governo junto com o Podemos, partido de esquerda visto com desconfiança pelos mercados, o índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, também foi favorecido pela expectativa de que EUA e Irã não iniciarão uma guerra aberta e encerrou o dia em alta moderada de 0,12%, a 9.591,40 pontos.

Diante dos desdobramentos mais amenos sobre o Oriente Médio, dados econômicos europeus divulgados hoje ficaram em segundo plano. As encomendas à indústria na Alemanha caíram em novembro, sinalizando que a desaceleração no setor industrial do país continua. Na zona do euro, a confiança do consumidor caiu em dezembro para -8,1, de -7,2 em novembro. Na França, o indicador piorou, marcando a primeira queda em 12 meses.