Bolsas da Europa têm alta com possível ajuda para Grécia

As bolsas da Europa fecharam em leve alta nesta quarta-feira, após comentários da Alemanha sobre um aumento na ajuda para a Grécia. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,23%, fechando a 270,11 pontos. A crise da Grécia ficou novamente no centro das atenções, depois do grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) não conseguirem chegar a uma conclusão sobre o fornecimento da nova parcela de ajuda ao país em reunião encerrada nesta madrugada. Um novo encontro foi marcado para a próxima segunda-feira. A reação à má notícia, porém, foi contida pelos sinais emitidos pela Alemanha.

Em uma reunião a portas fechadas com parlamentares alemães, a chanceler Angela Merkel teria afirmado que taxas de juros mais baixas e uma expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF), calculada em 10 bilhões de euros, poderia preencher o rombo de financiamento grego. Além disso, Merkel disse que existem chances de um acordo ser fechado na segunda-feira, embora isso ainda não esteja certo.

O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, por sua vez, comentou que a Grécia atendeu às condições impostas pela troica - formada por Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e FMI - e que houve um bom progresso nas negociações durante a reunião do Eurogrupo.

Nesse cenário, as bolsas europeias fecharam em alta, impulsionadas também pelos ganhos dos mercados em Nova York, que subiam após a divulgação de indicadores positivos nos EUA. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,44%, fechando a 3.477,36 pontos. As ações da Renault tiveram alta de 3,47%, após a montadora afirmar que pretende contratar 1,3 mil funcionários para impulsionar sua produção na Espanha. Já a Veolia Environnement ganhou 1,28%, depois de concluir a venda de ativos nos EUA.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX ganhou 0,16%, fechando a 7.184,71 pontos. Os papéis da Sky Deutschland subiram 7,18%, após uma decisão tributária em Munique que é favorável à empresa. Já a mineradora K+S perdeu 3,14%, depois de ter sua recomendação rebaixada pelo JPMorgan.

Em Londres, o índice FTSE avançou 0,07% e fechou a 5.752,03 pontos. A companhia química Johnson Matthey terminou com retração de 5,81%, após resultados trimestrais decepcionantes. Já a empresa de saneamento United Utilities avançou 1,90%, depois de um relatório da autoridade reguladora do setor no Reino Unido, a Ofwat, que sugere que novas regulamentações rígidas podem ser evitadas.

O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 0,60% e fechou a 5.303,24 pontos. O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, teve alta de 0,82%, fechando a 15.394,62 pontos. Já na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 avançou 0,34%, fechando a 7.805,40 pontos. As informações são da Dow Jones.

Carregando...