Bolsas da Europa fecham em queda com dados ruins do PIB

As bolsas europeias fecharam em queda nesta quinta-feira, após uma série de dados ruins do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro e do Japão ter pesado nos índices. Na Europa, as quedas do PIB eram esperadas, mas vieram acima do previsto. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,2%, fechando a 287,79 pontos.

O pessimismo dominou desde cedo a sessão, as bolsas europeias ampliaram as perdas e o euro chegou a atingir as mínimas após a divulgação de uma queda de 0,6% no PIB da zona do euro no quarto trimestre do ano passado, em comparação com o terceiro trimestre. A contração foi maior do que a de 0,4% prevista e a mais profunda desde o primeiro trimestre de 2009.

Os dados sobre o PIB da zona do euro foram divulgados depois dos números sobre as economias de Alemanha, França, Itália, Portugal e Grécia. Todos os países apresentaram contração no quarto trimestre.

No Japão, os dados divulgados na noite de quarta-feira (13) sobre o encolhimento da economia no quarto trimestre surpreenderam os especialistas. O PIB real do Japão encolheu 0,1% entre os meses de outubro a dezembro de 2012 em relação aos três meses anteriores e, em termos nominais, caiu 0,4%, na mesma base de comparação.

Nos EUA, o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 27 mil, para 341 mil, após ajustes sazonais, na semana até 9 de fevereiro, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. Economistas esperavam queda de 6 mil solicitações, para 360 mil. O número da semana anterior foi revisado em alta para 368 mil, dos 366 mil informados anteriormente. Entretanto, apesar dessa a média móvel, calculada para suavizar a volatilidade do dado, permaneceu próxima do menor nível em cinco anos.

Os dados dos EUA chegaram a contribuir para uma redução nas perdas das bolsas europeias, mas a desaceleração econômica da Alemanha veio um pouco pior do que o previsto no final do ano passado, o que ajudou a realimentar os temores de que a zona do euro está novamente em crise. Nesse cenário, o índice DAX, da bolsa de Frankfurt, caiu 1,05%, encerrando a sessão a 7.631,19 pontos. O Deutsche Bank AG foi o destaque da sessão, caindo 1.2%.

Em Madri, o índice IBEX-35 perdeu 0,71%, fechando a 8.247,40 pontos. As ações do Bankia perderam 12%, após o órgão regulador do mercado da Espanha ter suspendido os negócios com as ações do banco antes da abertura do mercado em Madri. O banco foi estatizado no ano passado e recebeu o maior resgate já fornecido pelo governo espanhol. As ações do Bankia foram cotadas pela última vez a 0,46 euro cada uma e o regulador não revelou o motivo da suspensão dos negócios.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 0,78%, a 3.669,69 pontos. As ações do Societe Generale caíram 3,5% e do Credit Agricole SA perderam 1,9%.

Já na Bolsa de Londres o índice FTSE perdeu 0,50%, fechando a 6.327,36 pontos. As ações do Barclays caíram 2,2%. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, perdeu 0,78%, a 6.169,80 pontos. E na Bolsa de Milão o índice FTSE-Mib caiu 1%, fechando a 16.544,95. As informações são da Dow Jones.

Carregando...