Mercado fechado

Bolsas da Europa operam em alta com alívio das tensões no Oriente Médio

Roberta Costa

Também dá apoio aos ativos de risco a confirmação pela China da assinatura de um acordo comercial de “fase 1” com os EUA na próxima semana As ações europeias atingiram um novo recorde nesta quinta-feira, acompanhando ganhos globais mais amplos nos mercados, depois que os Estados Unidos e o Irã recuaram de uma escalada militar no Oriente Médio.

Ontem, o presidente americano, Donald Trump, anunciou novas sanções ao Irã, em vez de uma ação militar imediata, e disse que os Estados Unidos estão “prontos para abraçar a paz com todos que a buscam”.

As ações dos EUA se recuperaram após uma instável negociação no pré-mercado, com o índice Nasdaq fechando a sessão de quarta-feira em um novo recorde e o S&P 500 atingindo nova máxima intradiária.

Também dá apoio aos ativos de risco nesta manhã a confirmação pela China da assinatura de um acordo comercial de “fase 1” com os Estados Unidos na próxima semana, levando a uma diminuição das preocupações relacionadas ao comércio.

O vice-primeiro-ministro chinês Liu He, enviado principal de Pequim em negociações com Washington sobre a guerra comercial, esperava participar da assinatura, mas a declaração do Ministério do Comércio feita hoje foi a primeira confirmação oficial.

Washington adiou os aumentos de tarifas planejados após o anúncio do acordo preliminar em outubro. Mas as tarifas punitivas anteriores impostas por ambos os lados sobre bilhões de dólares em bens importados permaneceram em vigor, esfriando o comércio global e ameaçando impedir o crescimento econômico.

Liu liderará uma delegação a Washington de segunda a quarta-feira, disse hoje um porta-voz do ministério, Gao Feng.

Por volta de 8h20, o índice pan-europeu Stoxx 600 subia 0,39%, para 420,00 pontos, depois de ter tocado o recorde de 420,98 pontos, enquanto o DAX, índice de referência na Alemanha, a maior economia do bloco, avançava 1,15%, para 13.473,99 pontos.

A produção industrial alemã aumentou mais do que o esperado em novembro, mostraram dados oficiais divulgados nesta manhã. No entanto, uma leitura separada mostrou que as exportações do país caíram bem abaixo das expectativas, indicando que a demanda por bens industriais ainda permaneceu lânguida.

O setor de tecnologia é o subíndice regional com melhor desempenho e os ganhos foram conduzidos por uma valorização de 2% nas ações da fabricante de chips Infineon Technologies.

Por países, o índice FTSE-100, referência da Bolsa de Londres, subia 0,56%, a 7.617,30 pontos, ajudado também pela queda de 0,6% da libra (para US$ 1,3028), enquanto o CAC-40 de Paris ganhava 0,31%, a 6.049,59 pontos, o FTSE-MIB, de Milão, tinha valorização de 0,75%, a 24.014,90 pontos, e o Ibex, de Madri, operava em alta de 0,25%, aos 9.614,90 pontos.