Mercado fechado

Bolsas da Europa fecham em alta, com expectativa de retomada da economia

Gabriel Roca e Rafael Vazquez

O índice pan-continental Stoxx 600 encerrou a terça-feira com ganhos de 1,57%, aos 359,77 pontos - maior nível desde o dia 6 de março Os índices acionários europeus tiveram mais uma sessão de ganhos relevantes nesta terça-feira (2) e registraram sua sexta alta nos últimos sete pregões. A expectativa de reabertura das economias e de que os piores efeitos da pandemia de covid-19 no crescimento global já ficaram para trás deu força à tomada de risco hoje.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou a terça-feira com ganhos de 1,57%, aos 359,77 pontos - maior nível desde o dia 6 de março. A referência da bolsa de Londres subiu 0,87%, a 6.220,14 pontos, enquanto o CAC 40, de Paris, teve ganhos de 2,02%, aos 4.858,97 pontos. O FTSE MIB, de Milão, avançou 2,42%, aos 18.971,09 pontos e o IBEX 35, de Madrid, subiu 2,59%, a 7.408,10 pontos.

Em Frankfurt — onde não houve negócios ontem devido a um feriado nacional — os investidores se ajustaram aos ganhos das demais praças europeias, empurrando as ações locais a uma forte alta. O DAX subiu 3,75%, aos 12.021,28 pontos.

"O novo coronavírus enviou a economia mundial à sua recessão mais profunda desde a Grande Depressão. No entanto, continuamos a acreditar que ela terá vida relativamente curta, com uma recuperação já entre o fim do segundo trimestre e o início do terceiro trimestre, à medida que as economias se abrem", afirmaram os analistas do Danske Bank. "Os dados de alta frequência apoiam a visão de que as economias avançadas estão se recuperando, à medida que o vírus vai ficando sob controle e as economias começam a reabrir", concluem.

Boas notícias

O bom-humor nos mercados nesta terça também contou com a contribuição de notícias da imprensa alemã de que o governo está prestes a aprovar um novo pacote de estímulo de aproximadamente 80 bilhões de euros.

Segundo o jornal “Bild”, o pacote deve incluir auxílio para famílias com crianças e, possivelmente, dívidas de governos estaduais e municipais assumidas pelo governo federal, para criar mais espaço para gastos com serviços essenciais.

No entanto, a parte mais interessante para os investidores, e que ajudou a impulsionar tanto o DAX como o setor automotivo no Stoxx Europe 600, é que o governo está novamente disposto a direcionar bilhões de euros em apoio à indústria automotiva, que nos últimos anos tem garantido, direta e indiretamente, aproximadamente 14% dos empregos no país.

Com a notícia, as ações da Daimler se valorizaram 7,73%, da Volkswagen avançaram 5,74% e da BMW subiram 5,23%. O setor automotivo do Stoxx 600 avançou 3,82%, maior ganho diário do índice acionário.

"Há muita positividade começando a crescer em toda a Europa", disse James McCormick, diretor de estratégia da NatWest Markets, apontando um declínio nos casos de covid-19 e o relaxamento das medidas de bloqueio no continente.

Além dos papéis das montadoras, bancos e empresas de viagem e turismo fecharam a sessão com ganhos (+2,86% e +2,68%, respectivamente). Os destaques no setor bancário foram os ganhos do Commerzbank (+7,83%), Danske Bank (+5,52%) e Deutsche Bank (+5,51%).