Mercado fechado

Bolsas da Europa fecham em alta, com dados de atividade melhores que o esperado

Gabriel Roca

Os índices acionários europeus encerraram a terça-feira em alta, impulsionados pelos dados de atividade empresarial no continente, que mostraram uma recuperação acima da esperada pelos analistas.

O índice Stoxx 600 Europe encerrou o dia em alta de 1,30%, aos 367,40 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 2,13%, aos 12.523,76 pontos e, em Londres, o FTSE 100 avançou 1,21%, a 6.320,12 pontos. O índice CAC 40, referência da Bolsa de Paris, terminou o pregão em valorização de 1,39%, aos 5.017,68 pontos.

Em Milão, o FTSE MIB subiu 1,86%, a 19.841,58 pontos e, em Madrid, o IBEX 35 ganhou 1,26%, fechando o dia aos 7.438,40 pontos.

Na manhã desta terça-feira, o instituto IHS Markit revelou que o PMI industrial da zona do euro subiu de 39,4 em maio para 46,9 pontos em junho, acima do esperado (44,5), enquanto o PMI de serviços da região saltou de 30,5 no mês passado para 47,3, superando a expectativa (41,0) de consenso dos analistas.

A leitura deu impulso à tomada de risco durante a sessão, com os investidores recebendo positivamente os sinais de recuperação na economia da região, após a paralisação das atividades devido à pandemia da covid-19.

Também contribuiu para a alta das ações o alívio dos investidores com a confirmação, por meio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o acordo comercial de primeira fase com a China ainda está em vigência.

A especulação sobre o fim do acordo ocorreu após o conselheiro comercial da Casa Branca, Peter Navarro, ter afirmado em entrevista à Fox que o acerto entre os países havia sido cancelado. Após a repercussão negativa da declaração, o consultor disse que seus comentários foram "interpretados descontroladamente".

Dentro do Stoxx 600, os setores que registraram maior avanço na sessão de hoje foram o automobilístico (+3,35%) e o bancário (+2,64%).

Todas as empresas que compõem o segmento de automóveis do índice amplo europeu avançaram hoje, com destaque para as francesas Peugeot e Renault, que subiram 7,48% e 6,40%. Já no setor de bancos, os maiores ganhos foram do holandês ABN Amro (+5,71%) e do espanhol Santander (+4,98%).

No noticiário corporativo, a Wirecard encerrou a sessão em alta de 19,11%. Marcus Braun, ex-executivo chefe da companhia alemã de pagamentos foi preso pela polícia de Munique no fim da noite de ontem, dias depois de a empresa ter revelado um rombo de US$ 2 bilhões em sua contabilidade. Foi a primeira alta desde que o escândalo contábil, que já retirou mais de 80% do valor de mercado da empresa, foi revelado na semana passada.

Já as ações da Bayer fecharam em alta de 6,49% após notícias de que a companhia pode selar um acordo entre US$ 8 e US$ 10 bilhões sobre os processos relacionados ao herbicida Roundup.