Bolsas asiáticas fecham sem direção única

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira, na expectativa pelo resultado da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e também influenciadas por fatores locais.

O encontro da Opep, que hoje revisa em Viena seus níveis de produção, despertou o interesse dos investidores diante da forte queda do petróleo, que desde junho acumula desvalorização de cerca de 30%. Não há expectativas, porém, de que o cartel faça um corte significativo na produção para sustentar as cotações da commodity.

O Xangai Composto, principal índice acionário da China continental, subiu 1%, a 2.630,49 pontos, garantindo ganhos de 7,3% nas seis últimas sessões. O Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, avançou 0,8%, a 1.416,18 pontos. Ambos os mercados mostram tendência de alta desde que o Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) anunciou um inesperado corte em taxas de juros de referência, no final da semana passada.

Recentes indicadores majoritariamente fracos da China também alimentam apostas de que Pequim continuará adotando medidas de estímulo. O dado mais recente foi o lucro industrial no gigante asiático, que avançou 6,7% de janeiro a outubro ante igual período de 2013, depois de crescer a um ritmo mais forte de 7,9% nos primeiros nove meses do ano.

Em Hong Kong, o dia foi de perdas. Pressionado por uma queda nas ações de concessionárias públicas, o índice Hang Seng recuou 0,45%, a 24.004,28 pontos. No mercado taiwanês, por outro lado, o Taiex teve ganho de 0,5%, a 9.165,31 pontos, mas com volume reduzido antes de eleições locais previstas para o fim de semana.

O índice sul-coreano Kospi mostrou alta apenas marginal, de 0,06%, a 1.982,09 pontos. A Samsung Electronics foi o destaque em Seul, com salto de quase 6% após anunciar sua primeira compra de ações desde janeiro de 2007, no valor de US$ 2 bilhões. Em Manila, o PSEi encerrou a sessão com forte queda de 1,2%, a 7.265,34 pontos, após o Produto Interno Bruto (PIB) das Filipinas crescer no ritmo mais fraco em quase três anos, de 5,3% no terceiro trimestre ante igual período do ano passado. A previsão dos analistas era de expansão de 6,5%.

Na Oceania, o mercado australiano fechou em tom positivo, auxiliado por papéis de grandes bancos e do setor de saúde. O índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Seul, subiu 0,1%, a 5.400,90 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.