Mercado fechado

Bolsas abrem em alta em NY com alívio na tensão comercial e dados da Europa

Valor

Indicadores de atividade vieram acima do esperado na zona do euro; nos EUA, embora pouco abaixo do previsto, cenário também mostra melhora Os índices acionários em Nova York iniciaram esta terça-feira com ganhos consistentes, levando o Nasdaq a registrar uma nova máxima histórica intradiária na abertura da sessão, superando pela primeira vez a marca dos 10,1 mil pontos.

Os investidores se mostram aliviados com a confirmação de que o acordo comercial entre Estados Unidos e China não foi cancelado, como havia sugerido o assessor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, em uma entrevista à Fox na noite de ontem.

Além disso, a leitura dos índices de atividade empresarial na Europa veio acima das expectativas de consenso, o que contribui para a demanda por risco nos mercados globais.

Nos Estados Unidos, o instituto IHS Markit apontou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor da manufatura subiu 49,6 pontos no mês de junho, levemente abaixo da expectativa de consenso de 50 pontos. O PMI do setor de serviços subiu a 46,7 pontos, ante estimativa de 48 pontos.

Mesmo a leitura dos PMIs nos EUA, levemente aquém das expectativas, não esfriou a demanda por risco no mercado de renda variável americano.

Assim, na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o Dow Jones operava por volta das 11h30 em alta de 0,79%, aos 26.231,76 pontos, enquanto o S&P 500 avançava 0,86%, aos 3.144,56 pontos. O índice eletrônico Nasdaq registrava ganhos de 0,99%, aos 10.155,68 pontos, superando sua máxima histórica intradiária anotada no dia 10 de junho.

AP Photo/Richard Drew

A alta é generalizada entre os setores que compõem o S&P 500, com todos os 11 subíndices apresentando valorização. Os ganhos mais acentuados são observados no segmento financeiro, que se beneficia também da alta nos rendimentos dos Treasuries.

Os setores de energia e materiais - que têm sensibilidade elevada às tensões entre Estados Unidos e China - aparecem na sequência dos maiores ganhos desta terça-feira.

As ações da Apple avançam mais de 1%, em um novo recorde de US$ 363, após uma bem-sucedida conferência de desenvolvedores realizada na noite de ontem.

O Dow Jones Market Data aponta que a divergência entre o desempenho da Nasdaq e os outros dois índices de referência é a mais ampla desde 1983, refletindo as opiniões dos investidores de que as empresas de tecnologia podem oferecer soluções para um mundo pós-pandemia.