Bolsas da Ásia têm sinais mistos; HK recua 0,3%

As bolsas asiáticas fecharam sem direção definida nesta terça-feira. Novamente, as bolsas da região foram influenciadas pelas expectativas sobre a eleição presidencial dos EUA e o início do Congresso do Partido Comunista da China.

Este foi o exemplo na Bolsa de Hong Kong, que teve ligeira queda, prejudicada também pelo declínio no peso pesado HSBC. O Hang Seng caiu 0,3% e encerrou aos 21.944,43 pontos. HSBC recuou 1,4%, com perspectivas de fraco balanço trimestral, contribuindo sozinho para a perda de 46 dos 62 pontos perdidos pelo índice HSI.

Na China, as bolsas também tiveram queda, em meio às incertezas políticas e econômicas internas e externas. O Xangai Composto caiu 0,4% e terminou aos 2.106,00 pontos. O Shenzhen Composto baixou 0,6%, aos 853,33 pontos. As imobiliárias lideraram o declínio, após os recentes ganhos.

Já em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em alta, impulsionada pelos ganhos das blue chips de tecnologia e pelo apoio da compra de títulos pelo governo. O índice Taiwan Weighted terminou o pregão em alta de 0,71%, aos 7.236,68 pontos.

Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul terminou o pregão em alta. Investidores institucionais compraram ações de montadoras e outras blue chips em movimento de caça às pechinchas. O índice Kospi avançou 1,05%, aos 1.928,17 pontos.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou em alta com os comentários econômicos positivos do Reserve Bank of Australia, o que compensou o desapontamento com a decisão de o BC manter as taxas de juros inalteradas em sua reunião mensal. O S&P/ASX 200 subiu 0,24%, aos 4.484,80 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, também apresentou alta, no embalo dos ganhos em Wall Street e de bons balanços trimestrais. O índice PSEi subiu 0,3% e fechou aos 5.473,61 pontos, um novo recorde de fechamento, com pesado volume de negociações. As informações são da Dow Jones.

Carregando...