Bolsas da Ásia encerram em alta; maioria reabre 4ª-feira

As Bolsas asiáticas estenderam os ganhos nesta sexta-feira, enquanto os investidores continuaram esperançosos de que os legisladores dos Estados Unidos chegarão a um acordo para evitar o abismo fiscal. Os mercados acionários da China, Japão, Hong Kong, Filipinas, Cingapura, Coreia do Sul, Taiwan, Tailândia e Indonésia só voltarão a funcionar na próxima quarta-feira (02) em razão do feriado do ano-novo. As Bolsas da Nova Zelândia e Austrália terão pregões mais curtos na segunda-feira (31).

O presidente dos EUA, Barack Obama, e os principais líderes do Congresso vão se reunir no fim da tarde desta sexta-feira para buscar uma forma de avançar nas negociações para evitar os fortes cortes de gastos públicos e os aumentos de impostos na virada do ano.

O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, fechou o último pregão do ano com alta de 0,2%, ou 46,81 pontos, aos 22.666,59 pontos, ajudado pelo avanço das Bolsas da China, que mais que compensou as ligeiras preocupações sobre o abismo fiscal nos EUA. Haitong Securities subiu 6,9% e Citic Securities avançou 10,7%. Ambas as ações atingiram máxima em 52 semanas nesta sessão, e subiram mais de 30% em relação às mínimas registradas no início do mês. A operadora de telecomunicações China Unicom avançou 1,3% e Citic Pacific saltou 4,3%.

Na China, o índice Xangai Composto fechou com ganho de 1,5%, aos 2.233,25 ponto, em meio à especulação dos investidores que o mercado tem dinâmica suficiente para sustentar a tendência de alta. O índice Shenzhen Composto subiu 1,2%, para 872,96 pontos. Analistas disseram que o preço das ações foi impulsionado também pela entrada de dinheiro estrangeiro por meio do programa Investidor Institucional Estrangeiro Qualificado (QFII, na sigla em inglês) do fundo de seguridade social.

Os investidores também estão precificando dados melhores da produção manufatureira, assim como as expectativas de que os registros para as ofertas públicas iniciais (IPOs, na sigla em inglês) irão diminuir, à medida que as empresas cancelam planos de listagem ou consideram listagens no exterior, aliviando a pressão sobre o abastecimento no mercado de ações do tipo A, acrescentaram os especialistas.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa da Sydney, encerrou com ganho de 0,5%, ou 23,3 pontos, para 4.671,30 pontos, o maior nível desde 1º de junho de 2011. Os preços do petróleo, minério de ferro e cobre impulsionaram as ações das mineradoras e os investidores compraram ações prevendo que os legisladores dos EUA conseguirão fechar um acordo para evitar o abismo fiscal. Entre as mineradoras, BHP Billiton (+1,1%), Rio Tinto (+1,7%) e Fortescue Metals Group (+2,4%). No setor de energia, Woodside Petroleum (+0,5%) e Santos and Oil Search (+0,9%).

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 0,4%, para 1.391,93 pontos, afetado pela realização de lucros. Em 2012, o índice teve alta de 35,8%. Univentures (+14,7%), Raimon Land (+11,5%), PTT (-0,9%), Shin Corp. (-1,4%) e PTT Exploration & Production (+0,3%). O mercado estará fechado nas próximas segunda e terça-feira.

Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, o índice PSEi avançou 0,3%, para 5.812,73 pontos, acumulando alta de 33% no ano. Os ganhos foram conduzidos pelo BDO Unibank, a maior instituição de crédito do país em termos de ativos, que avançou 0,1%. O conglomerado SM Investments teve alta de 0,2% e Ayala Corp. subiu 1,2%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...