Bolsa de Tóquio fecha em queda de 1%

A Bolsa de Valores de Tóquio fechou em queda nesta sexta-feira, depois das notícias de que as negociações para o Orçamento dos EUA, em Washington, haviam sido adiadas, disparando as vendas de ações da Toyota Motor, TDK, Nikon e outros grandes exportadores, mesmo com os investidores estrangeiros que permanecem voltados para as ações do setor imobiliário e outros papéis correlatos, na expectativa de que haja uma política de flexibilização monetária. O índice Nikkei fechou em queda de 1%, aos 9.940,06 pontos, seguindo o recuo de 1,2% no pregão anterior. Na semana, o índice ainda conseguiu um ganho de quase 2,1%, e permanece próximo do ganho de 18%, do início do ano até agora.

O volume de negócios permaneceu muito forte, totalizando 3,6 bilhões de ações comercializadas, superando a marca de 3,4 bilhões de ações pela quarta sessão consecutiva, graças ao grande interesse do investidor estrangeiro.

Os maiores índices começaram com tendência de alta, em meio aos sinais mais claros de acordo sobre o "abismo fiscal" nos EUA, e com o iene mais fraco. Mas, no meio da manhã, novas notícias dizendo que a Câmara dos Representantes dos EUA havia adiado a decisão sobre o déficit fiscal para depois do Natal diminuíram o ritmo do rali no mercado.

"A reação instintiva do mercado não pode ser catastrófica", disse o analista de equity da CLSA, Nicholas Smith. "Isso significa que eles interromperam as discussões para voltarem ao assunto após o Natal. Ao contrário da crença popular, mesmo se eles conduzirem o 'carro' para o 'abismo fiscal', os efeitos somente vão respingar em janeiro, crescendo nos próximos meses. Isso pode ser corrigido; eles só não devem é perder tempo", afirmou Smith.

"os investidores estrangeiros continuam comprando no mercado, principalmente, na esperança de que o governo recém-eleito traga robusto estímulo à economia, movendo-se rapidamente para aplicar medidas de relaxamento monetário", disse o gerente-geral da Chibagin Asset Management, Yoshihiro Okumura.

As ações de maior liquidez de exportadoras estiveram um pouco mais elevadas, mas foram severamente atingidas no meio do pregão pela alta do iene. A Toyota Motor perdeu 2,4%, TDK caiu 3,4%, Nikon recuou 2,3%, e os papéis da Fanuc terminaram em queda de 1,6%.

Dentre as ações de instituições financeiras, sensíveis à inflação, a Nomura Holdings ganhou 0,5%, enquanto que os papéis do Sumitomo Mitsui Financial Group terminaram estáveis. A Airful, credora para o setor de varejo, perdeu 1,6%. As ações ligadas ao setor imobiliário conseguiram consolidar alguns de seus ganhos iniciais, com a Mitsubishi Estate fechando em alta de 2,9%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...