Bolsa de Tóquio fecha em queda de 0,19%

A Bolsa de Tóquio fechou em queda nesta sexta-feira, com a resistência do iene, que favoreceu a pressão de venda, prejudicando as companhias exportadoras como a Nikon. As vendas de ações de grandes empresas do setor de telecomunicações, a exemplo da Softbank e KDDI, também puxaram o mercado para baixo. O índice Nikkei perdeu 0,19%, aos 9.527,39 pontos, após o ganho de 0,8% na sessão anterior.

O volume de papéis comercializados somou 2,09 bilhões de ações, com o mercado superando a marca de 2 bilhões pela segunda sessão seguida. O índice transitou entre os territórios negativo e positivo, permanecendo dentro de uma margem de 51 pontos, com a moeda japonesa que deu poucos sinais de que se enfraquecerá mais, contra o dólar. De acordo com os traders, antes do final de semana, os investidores aguardam para tomar decisões, enquanto os incentivos estão esparsos.

"Os dados do relatório de emprego dos EUA (payroll), sem levar em conta as ocupações no setor agrícola, as eleições gerais para a Câmara Baixa marcadas para 16 de dezembro, e a possibilidade de a Coreia do Sul lançar seu míssil, todo esse contexto deixou a ambição dos investidores subjugada", disse um diretor de negociação de equity, de uma corretora estrangeira.

Algumas vendas do Nikkei no mercado de futuros a partir de fundos de hedge no exterior também pesaram sobre o mercado à vista, como afirmou o estrategista de investimento da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities, Norihiro Fujito.

As ações de empresas exportadoras foram vendidas por meio da realização de lucros. Os papéis da Nikon caíram 1,6%, enquanto que os da Kyocera recuaram 0,8%. As ações do Softbank e KDDI, que são pesos-pesadas para a composição do Nikkei, foram amplamente responsáveis nessa queda do índice. Os papéis da Softbank perderam 2,1% e os da KDDI caíram 3%. As ações da Sharp subiram 8,5%, após o ganho de 9,9% da sessão anterior. Tem pesado positivamente sobre esses papéis os comentários de uma fonte da indústria de precisão Hon Hai, de Taiwan, sinalizando que as conversas para a compra de uma participação na Sharp ainda estão de pé. As informações são da Dow Jones.

Carregando...