Bolsa de Tóquio fecha em alta de 2,20%

A Bolsa de Tóquio fechou em forte recuperação pelo segundo dia consecutivo, com a expectativa de que haja medidas mais agressivas de flexibilização monetária por parte do Banco do Japão (BoJ, o banco central do país). A alta também foi sustentada pelo bom desempenho da Advantest e por empresas exportadoras de tecnologia. As corretoras, como a Nomura Holdings, ajudaram a elevaram o mercado. O índice Nikkei fechou em alta de 2,2%, aos 9.024,16 pontos, após ter avançado 1,9% na sessão de ontem. Esse foi o maior aumento do índice desde 7 de setembro. As ações terminaram a semana com ganho líquido de 3%, e agora apresentam elevação de 6,7% no ano.

O volume de negócios foi alto, totalizando 2,58 bilhões de ações. Esse foi o maior volume registrado desde 13 de março, e pelo segundo dia consecutivo ultrapassou a marca de 2 bilhões, algo inesperado, tendo em vista os recentes níveis fracos de participação. Muito parecido com o dia anterior, o iene acentuadamente mais fraco provocou tendência de alta na abertura do pregão, e os maiores índices permaneceram bem acima do ponto de equilíbrio durante a negociação.

"O primeiro-ministro Yoshihiko Noda anunciou que dissolveria a câmara baixa do Parlamento hoje (o que se efetivou pouco antes do fechamento do pregão), dando ao mercado um impulso, com a possibilidade de o Banco do Japão (BoJ) aplicar medidas mais agressivas de flexibilização monetária a partir da possível escolha de Shinzo Abe para o posto de Noda", afirmou o analista de mercado da Tachibana Securities, Kenichi Hirano.

Apesar disso, Hirano acrescentou: "Mas não podermos ser otimistas demais a ponto de supor que o iene continuará a cair mais". "Fatores externos como o dilema do "abismo fiscal" nos EUA, e da recessão na zona do euro dão poucos sinais de que esses impasses se resolverão rapidamente."

As companhias exportadoras tiveram bons desempenhos pelo segundo pregão seguido, com empresas como a Canon, cujos papéis subiram 5,8%, e a Nikon que avançou 7,8%. Entre as montadoras, a Honda Motor ganhou 5,1%, enquanto que a Toyota Motor subiu 3,4%. A fabricante de máquinas Fanuc também avançou 3,8%.

A cobertura de vendas a descoberto esteve mais focada em ações de tecnologia em relação ao pregão de ontem, com a Advantest que subiu 6,7%, e a TDK, que ganhou 4,9%. Corretoras como a Nomura Holdings e Daiwa Securities acompanharam mais de perto a possível flexibilização monetária por parte do BoJ. Os papéis da Nomura subiram 5% e os da Daiwa, 7,1%, dando ao setor o melhor desempenho do pregão. As informações são da Dow Jones.

Carregando...