Bolsa de Tóquio fecha em alta de 0,13%

A Bolsa de Valores de Tóquio registrou um modesto ganho nesta segunda-feira, com as compras no início do pregão estimuladas pelo fortalecimento do euro ante o iene e os dados animadores do índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da China, o que ajudou a conduzir as ações de empresas como Canon e Komatsu, que vinham sofrendo pressão de venda. O índice Nikkei subiu 0,13%, aos 9.458,18 pontos, acompanhando o ganho de 0,5% da sessão anterior.

O volume de negócios esteve fora do ritmo robusto de sexta-feira, totalizando 1,87 bilhão de ações comercializadas. As principais bolsas abriram em território positivo, com o enfraquecimento do iene contra o euro e o PMI dos EUA que registrou avanço na sexta-feira, superando ligeiramente as expectativas dos economistas. As ações ganharam um impulso adicional no meio do pregão, com a divulgação do PMI da China de novembro, medido pelo HSBC, que manteve-se em alta pelo 13º mês, registrando 50,5, ante 49,5 em outubro.

"Os dados da China demonstram que a economia do país está retornando a uma faixa de recuperação", informou um trader de equity de uma corretora doméstica. "Mas a pesada posição construída levou o Nikkei aos 9.500 pontos,e resultou em movimento de vendas, puxando o mercado para baixo. Parece-me que os ganhos, no momento, serão limitados no patamar de 9.500 pontos", afirmou o trader.

As empresas de grande liquidez sensíveis ao euro foram beneficiadas com o iene mais fraco. A Canon, por exemplo, fechou em alta de 2,7%. Já a fabricante de máquinas Komatsu ganhou 0,4% na sessão desta segunda-feira.

Os papéis da Fast Retail fecharam em alta de 1,5% na esperança de uma maior expansão no exterior, seguindo o anúncio feito pela empresa na sexta-feira de que vai adquirir uma participação de 80,1% na fabricante de vestuário dos EUA, J Brand Holdings LLC, por cerca de US$ 300 milhões.

As ações ligadas ao setor de imóveis e da construção, de maneira geral, tiveram o melhor desempenho do pregão, em grande parte graças à perspectiva de que o setor industrial receba um tratamento mais amistoso depois das eleições gerais que ocorrerão em 16 de dezembro, uma vez que espera-se que o principal partido de oposição, o Partido Liberal Democrático retome o poder.

As empresas do setor de imóveis Mitsui Fudosan e Mitsubishi Estate ganharam, respectivamente, 2% e 2,4%, com a expectativa de que medidas mais agressivas de relaxamento monetário por parte do Banco do Japão (BoJ, o banco central do país) possam impulsionar os preços dos imóveis. As informações são da Dow Jones.

Carregando...