Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.338,95
    -142,27 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Bolsa sobe 0,17% e marca terceiro dia consecutivo de alta

·2 min de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 09.05.2015 - Gráficos das recentes flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa, na Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 09.05.2015 - Gráficos das recentes flutuações dos índices de mercado no pregão da BM & F Bovespa, na Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Diego Padgurschi/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa de Valores brasileira encerrou a sessão de quinta-feira (22) com alta de 0,17%, aos 126.146 pontos. O movimento reflete um dia de baixa volatilidade e veio na esteira dos mercados internacionais, que ainda refletem um maior otimismo em relação à recuperação econômica e diante dos balanços corporativos robustos.

Foi a terceira alta consecutiva do Ibovespa, principal índice acionário, o que continua a dar fôlego às expectativas do mercado de que a Bolsa brasileira ruma para um topo intermediário de 128 mil pontos.

Análise gráfica do Itaú BBA afirma que ultrapassar os 128.100 pontos seria importante para o Ibovespa ter um fôlego nos próximos dias, mas que somente acima de 129.900 pontos é que ele teria força na retomada do movimento de alta.

A tendência, porém, ainda pode sofrer volatilidade diante dos ruídos políticos no ambiente doméstico. "O ruído institucional entre os poderes vem atrapalhando a retomada mais forte na Bolsa mesmo com a diminuição de volatilidade e recuperação dos índices no exterior. Por lá, o investidor vem ponderando o otimismo com a temporada de balanço, o auxílio-desemprego nos EUA, que está acima do esperado, e os temores com a elevação do contágio da variante delta", afirmou Thomás Gibertoni, analista da Portofino Multi Family Office.

Além disso, o Banco Central Europeu também manteve o juro no patamar de 0% nesta quinta-feira (22). Apesar de a ação já ser esperada pelo mercado, o comunicado feito foi de uma política menos rígida em relação à inflação (conhecida pelo mercado como dovish) o que leva conforto para o mercado com relação aos preços praticados atualmente.

No exterior, os índices americanos Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq encerraram o pregão com ganhos de 0,07%, 0,20% e 0,36%, respectivamente.

O dólar, por sua vez, encerrou com alta de 0,38%, cotado em R$ 5,2110, após ter oscilado bastante ao longo do pregão, refletindo ambos os mercados doméstico e externo.