Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.318,81
    +1.019,75 (+2,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Bolsa fecha estável com EUA e precatórios no radar

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.06.2018 - Movimentação de investidores no saguão da B3 (Bolsa de Valores) de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 28.06.2018 - Movimentação de investidores no saguão da B3 (Bolsa de Valores) de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A decisão do Fed (Federal Reserve, o banco central americano) que confirmou uma retirada suave dos estímulos da economia americana evitou que a Bolsa de Valores brasileira recuasse nesta quinta-feira (3) na esteira das fortes baixas registradas no setor de commodities, que derrubaram as ações da Petrobras e da Vale.

O Ibovespa, índice de referência do mercado de ações do país, avançou 0,06%, a 105.616 pontos. O indicador operava em baixa de 0,59% às 14h57, quando a divulgação do resultado da reunião do Fomc (comitê de política monetária do Fed) deu início a um movimento de alta que chegou a 1% às 15h37.

O dólar fechou em forte queda de 1,42%, a R$ 5,5890, após ter encostado nos R$ 5,70 pela manhã. A queda tem relação com a realização de lucros antes do anúncio do Fed, cuja postura cautelosa na redução das suas compras de ativos diminuiu a expectativa de aceleração da alta da moeda americana.

A autoridade monetária americana anunciou nesta quarta que iniciará neste mês uma redução de US$ 15 bilhões (R$ 85 bilhões) em suas compras mensais de US$ 120 bilhões (R$ 680 bilhões) de títulos do Tesouro e hipotecários iniciadas em 2020 para amenizar os efeitos da pandemia sobre a economia do país.

O resultado era esperado pelo mercado. Uma redução mais agressiva diminuiria mais depressa a liquidez global, prejudicando o fluxo de recursos que os investidores estariam dispostos a aplicar em economias emergentes como a brasileira, pressionando ainda mais a alta do dólar.

Outro ponto que pode ser visto como positivo para o Brasil foi a decisão unânime dos conselheiros do Fomc em manter a taxa de juros básica do país em um intervalo de 0% a 0,25% ao ano, diminuindo assim o interesse do mercado em retirar dólares de países emergentes para buscar ganhos mais seguros no Tesouro americano.

O Ibovespa voltou a cair ao final do pregão com o mercado atento também ao cenário doméstico, onde o governo enfrenta contratempos em sua tentativa de fazer avançar no Congresso a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos precatórios, por meio da qual pretende acomodar os gastos com o Auxílio Brasil no Orçamento de 2022.

A Vale caiu 7,59%, respondendo à forte queda do preço do minério de ferro na China.

A Petrobras recuou 4,11%. O resultado foi influenciado pela desvalorização do petróleo. O barril do Brent, referência mundial, cedeu 4,07%, a US$ 81,27 (R$ 460,70).

Nos Estados Unidos, os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram 0,29%, 0,65% e 1,04%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos