Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.930,25
    +416,20 (+0,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Bolsa fecha em alta, e dólar cai para R$ 5,4190

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ibovespa fechou em alta de 0,27%, a 119.209,48 pontos, nesta segunda-feira (3). O dólar caiu 0,18%, a R$ 5,4190. O dólar turismo está a R$ 5,583.

O dia foi de troca nas carteiras de investidores para maio, que optaram por ações de bancos e de empresas mais capazes de serem beneficiadas pela reabertura da economia ao mesmo tempo em que realizaram lucros com papéis ligados a matérias-primas, no início de um mês tradicionalmente volátil nos mercados.

Atentos ao "sell in May and go away" (venda em maio e vá embora) típico no Hemisfério Norte, quando investidores de lá vendem ações antes do verão, gestores no Brasil avaliam que há espaço para sequência da avanço de algumas ações domésticas, mesmo após alta acumulada de 8% do Ibovespa entre março e abril.

Em Nova York, os principais índices fecharam sem direção única. O S&P 500 subiu 0,27% e Dow Jones, 0,7%, e Nasdaq caiu 0,48%.

Aqui, o setor financeiro foi uma destacada escolha de compras na sessão. Além dos resultados acima das expectativas do Santander Brasil na semana passada, agentes do mercado intensificaram a previsão de que o Banco Central indicará nesta semana compromisso com o ciclo de aperto monetário para segurar a inflação, quando deve anunciar uma nova alta de 0,75 ponto da Selic, para 3,5% ao ano.

"Esse é um cenário que tende a beneficiar os bancos", disse em nota Paula Zogbi, analista da Rico Investimentos.

Bradesco subiu 2,98% na véspera da divulgação de seus resultados trimestrais. Itaú, que anuncia os seus nesta noite, avançou 1,4%. Santander teve alta de 1,95% e Banco do Brasil, que divulga seu balanço na quinta (6), cresceu 0,37%.

Em outra frente, ações de operadoras de shopping centers foram destaques positivos, após sinais de atividade intensa do comércio paulista neste final de semana com flexibilização adicional de medidas de isolamento para conter a pandemia.

brMalls subiu 4,94%, Iguatemi ganhou 5,16% e Multiplan teve alta de 4,21%, com o setor de shopping centers liderando o bloco das "ações de retomada da economia", diante do otimismo de parte do mercado com uma aceleração da vacinação contra Covid-19 no Brasil.

"Boas notícias sobre avanço da vacinação estão incentivando as ações de empresas mais ligadas à retomada da economia a partir do segundo semestre", afirmou Sérgio Zanini, sócio e gestor da Galapagos Capital.

As perdedoras do dia foram ações de empresas de commodities, incluindo as gigantes Petrobras (-0,8%) e Vale (-0,98%), além das siderúrgicas e de outras grandes exportadoras, como JBS (-1,26%) e Suzano (-1,41%), na cola da queda do dólar frente ao real.

A Sabesp registrou a maior queda do Ibovespa (6,5%), após a companhia informar que tem opção de integrar a concessão do bloco 2 de ativos da fluminense Cedae, vencida pela Iguá Saneamento em leilão na última sexta-feira (30).

Ecorodovias chegou a disparar 9% após a unidade Ecovias anunciar acordo com o governo paulista, pelo qual fará R$ 1,1 bilhão em novos investimentos para prorrogar a concessão do sistema Anchieta Imigrantes. Mas a ação foi perdendo força, até fechar em baixa de 0,25%. Já sua rival CCR, que recentemente também assinou aditivo em São Paulo, cresceu 5%

Braskem caiu 4,69%. A petroquímica informou na sexta (30) que as vendas de sua unidade no México recuaram 37% no primeiro trimestre contra um ano antes, afetadas em parte por uma tempestade congelante no Hemisfério Norte.