Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.102,43
    -292,75 (-1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Bolsa fecha em alta com Petrobras e 'correção de rota' do governo sobre independência do Banco Central

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa fechou em alta nesta quinta-feira (19), impulsionada pela Petrobras, e também após o ministro da Relações Institucionais, Alexandre Padilha, negar que o governo tenha predisposição de mexer na independência do Banco Central, o que levou dólar e juros a fecharem mais perto da estabilidade.

O Ibovespa fechou em alta de 0,62%, aos 112.921 pontos. O dólar comercial à vista fechou com avanço de 0,15%, a R$ 5,169, depois de atingir R$ 5,25 na máxima do dia.

Os juros também diminuíram o ritmo de alta, e a taxa para vencimento em 2024 subiu dos 13,45% ao ano do fechamento desta quarta-feira (18) para 13,48%. Para 2025, a alta foi de 12,54% para 12,61%. Para 2027, a taxa subia de 12,43% para 12,52%. Os contratos mais longos chegaram a superar os 12,70% ao ano pela manhã.Em seu relatório de abertura, a Mirae Asset critica o presidente Lula por suas declarações em entrevista ao canal GloboNews, que além da independência do Banco Central, questionou a meta de inflação, que considera "exagerada.

"Afinal, qual o governo de fato? O de Lula, nas suas declarações desastrosas, ou do ministro Haddad, mais sensato?", questiona a Mirae.

Mas na tarde desta quinta, o ministro Padilha usou as redes sociais para dizer que "a política monetária e o papel de análise da macroeconomia do Banco Central são de extrema importância." Isso ajudou a conter o dólar e os juros, além de consolidar o caminho de alta do Ibovespa.

No caso da Bolsa, as ações da Petrobras impulsionam o Ibovespa, com as ordinárias subindo 3,25%, e as preferenciais com avanço de 3,31% às 17h40. O petróleo tipo Brent, no mesmo horário, subia 1,53%, a US$ 86,28 o barril.

O mercado está cada vez mais otimista com a retomada econômica da China, que deve impulsionar a demanda por petróleo. Segundo estimativa do JP Morgan, relatada pela agência Bloomberg, o consumo do produto pode chegar a um recorde de 16 milhões de barris por dia no país asiático.

Segundo informações da Bloomberg, o vice premier chinês, Sun Chunlan, afirmou que os casos de infecções por Covid-19 no país chegaram um nível "relativamente baixo", dias antes do início do feriado de ano novo lunar, que começa neste sábado (21).

Por aqui, o mercado de trabalho continua se recuperando. O desemprego caiu para 8,1% no trimestre terminado em novembro de 2022, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados na manhã desta quinta-feira. É o melhor resultado para o período entre setembro e novembro desde 2014.

Os investidores também continuam atentos ao caso Americanas. A empresa pediu recuperação judicial nesta quinta, listando uma dívidas superior a R$ 43 bilhões, para mais de 16 mil credores. A ação ordinária da companhia fechou em queda de 42,52%, valendo R$ 1,00.

Depois da informação do pedido de recuperação, a B3 informou que a ação ordinária da Americanas foi retirada de todos os índices teóricos da Bolsa, inclusive do Ibovespa.

Em direção oposta, a ação ordinária do Magazine Luiza fechou com alta de 7%, a maior do Ibovespa. Segundo analistas, os investidores acreditam que a rede possa se beneficiar da situação da Americanas, especialmente na internet.

No exterior, o mercado aguardava o discurso de Lael Brainard, vice-presidente do Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos. Ela reforçou que a autoridade monetária precisará aumentar mais os juros para que a inflação