Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.666,62
    +1.066,33 (+3,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Bolsa Família de R$300 comprimiria espaço para investimentos, diz Funchal

·1 minuto de leitura
Edifício do Ministério da Economia em Brasília (DF)

BRASÍLIA (Reuters) - O Orçamento de 2022 deve ter espaço para elevar o benefício médio do programa Bolsa Família para um valor próximo a 300 reais, mas isso comprimirá o espaço para outras despesas, como investimento, disse nesta quinta-feira o secretário Especial de Fazenda, Bruno Funchal.

Segundo Funchal, a estimativa é que o Orçamento do ano que vem terá uma margem de 25 a 30 bilhões de reais para o cumprimento da regra do teto, que limita o crescimento das despesas anuais à variação da inflação no período anterior.

Esse valor seria suficiente para levar o valor médio do Bolsa Família a 300 reais, segundo Funchal. A elevação do valor do programa, atualmente em cerca de 190 reais, foi anunciada nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo o qual ela valerá a partir de novembro deste ano.

"Tem espaço, mas acaba comprimindo o espaço para outras coisas, por exemplo, investimentos", disse Funchal.

Em entrevista coletiva virtual para comentar os dados do Relatório de Receitas e Despesas do terceiro bimestre, o secretário disse, ainda, que as estimativas mais recentes da Secretaria de Política Econômica apontam que o país poderá voltar a ter superávit primário em 2023 e 2024.

(Por Isabel Versiani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos