Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,21
    -0,09 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.747,10
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    44.865,85
    +1.512,01 (+3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.124,32
    +15,40 (+1,39%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    30.193,42
    +554,02 (+1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.327,00
    +23,50 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2265
    +0,0015 (+0,02%)
     

BOLSA EUA-Wall St sobe com ações de tecnologia, mas caminha para perda na semana

·2 minuto de leitura
Placa em frente à Bolsa de Valores de Nova York sinaliza Wall Street

(Reuters) - O Nasdaq liderava os ganhos entre os principais índices de Wall Street nesta sexta-feira, impulsionado pela força das ações de tecnologia, embora preocupações com uma desaceleração da recuperação econômica e possível redução do estímulo colocassem o Dow Jones e o S&P 500 a caminho de sua pior semana desde meados de junho.

Amazon.com, Apple Inc, Alphabet Inc (controladora do Google), Nvidia Corp, Microsoft Corp e Tesla Inc --que encabeçaram o rali de Wall Street a recordes desde as mínimas da pandemia registradas no ano passado-- ganhavam entre 0,3% e 1%.

Nove dos 11 principais setores do S&P avançavam. O índice de ações de energia S&P 500 tinha desempenho inferior e, na semana, acumulava queda de 8%, rumo à pior semana desde setembro do ano passado.

Ações relacionadas a viagens, incluindo as operadoras de cruzeiro Norwegian Cruise Line, Carnival Cruise Line e Royal Caribbean caíam até 0,6%, à medida que países asiáticos anunciaram restrições mais drásticas e bloqueios mais longos para os cidadãos para combater o aumento de infecções causado pela altamente infecciosa variante Delta do coronavírus.

"As preocupações crescentes com o enfraquecimento da economia, a redução de estímulos pelo Fed e a variante Delta estão no pensamento dos operadores, e quando você junta tudo isso com o período sazonalmente fraco de agosto e setembro... temos as piores semanas que vimos em alguns meses", disse Ryan Detrick, estrategista sênior de mercado da LPL Financial.

As ações globais ficaram sob pressão nesta semana, com os índices dos EUA se afastando de máximas recordes, uma vez que dados econômicos pessimistas da China se somaram a preocupações em relação às perspectivas para oferta de estímulo nos EUA.

A ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve mostrou que as autoridades esperam reduzir as compras mensais de emergência do banco central --atualmente em 120 bilhões de dólares em títulos do Tesouro e títulos lastreados em hipotecas-- ao fim deste ano, em meio a uma recuperação no mercado de trabalho.

O foco agora está na conferência anual do Fed em Jackson Hole, Wyoming, na próxima semana, quando o mercado ficará atento a qualquer indicação sobre os próximos passos do banco central.

Às 11:45 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,39%, a 35.031 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,65845%, a 4.435 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 1%, a 14.687 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos