Mercado abrirá em 8 h 12 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,03
    +0,54 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.778,90
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    50.845,98
    +1.739,23 (+3,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.312,82
    +52,66 (+4,18%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.232,28
    +109,96 (+1,54%)
     
  • HANG SENG

    23.665,27
    +315,89 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    28.282,01
    +354,64 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    15.856,25
    +13,50 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4276
    +0,0040 (+0,06%)
     

Bolsa cai e dólar sobe a R$ 5,6260 pressionados por risco fiscal

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.09.2013 - Painéis de indicadores econômicos na sede da Bolsa de Valores de SP. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.09.2013 - Painéis de indicadores econômicos na sede da Bolsa de Valores de SP. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa de Valores brasileira fechou em queda de 0,62%, a 105.704 pontos, nesta quinta-feira (28). Após o início positivo do pregão, com o mercado assimilando a já esperada alta da taxa Selic para 7,75% ao ano, os negócios perderam força com o risco fiscal voltando a desestimular investimentos.

A pressão sobre o câmbio é o principal reflexo da tensão gerada por esse risco. O dólar subiu 1,25%, a R$ 5,6260.

O juros DI para janeiro de 2023 subiram 0,98 ponto percentual, passando de 11,51% para 12,48%.

O mercado reagiu negativamente ao segundo adiamento da discussão da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos precatórios no Congresso nesta quarta (27). O governo pretende utilizar a PEC para acomodar parte dos gastos extraordinários com o pagamento do Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família.

Embora o mundo dos negócios seja desfavorável ao drible no teto de gastos anunciado pelo governo para o ano eleitoral de 2022, a dificuldade do Executivo para fechar o Orçamento piora a percepção sobre o rumo das contas públicas e amplia incertezas.

"O movimento de hoje é basicamente uma continuidade do medo do risco fiscal que estamos vendo nos últimos dias", diz Fernanda Consorte, economista-chefe do Banco Ourinvest.

O ministro da Cidadania, João Roma, disse na manhã desta quinta que, para pagar os R$ 400 do Auxílio Brasil em dezembro, é preciso que a PEC dos precatórios seja aprovada no Congresso até a segunda semana de novembro.

Se aprovada, uma mudança na PEC libera R$ 15 bilhões para o governo gastar ainda neste ano, para pagamento de vacina, auxílio para caminhoneiros e o Auxílio Brasil.

A discussão sobre a proposta no plenário da Câmara foi adiada pela segunda vez, por falta de consenso. A oposição quer derrubar a parte da PEC que cria um valor máximo para o pagamento dos precatórios -dívidas reconhecidas pela Justiça.

A ideia da PEC é adiar parte do pagamento dessa dívida para abrir espaço no Orçamento para o governo federal.

Nos Estados Unidos, Wall Street fechou em alta, impulsionada por ganhos da Apple e da Amazon antes da divulgação dos balanços das duas empresas, enquanto resultados sólidos de companhias como Caterpillar e Merck ajudaram a aliviar preocupações com o impacto da desaceleração do crescimento econômico sobre os lucros.

Os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram 0,68%, 0,98% e 1,39%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos