Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,41
    +0,13 (+0,20%)
     
  • OURO

    1.837,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    56.376,25
    +245,56 (+0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.513,93
    +1.271,26 (+523,84%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.331,25
    -14,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3426
    +0,0024 (+0,04%)
     

Bolsa cai 4,25% diante temores sobre nova onda de Covid-19

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL - 09-05-2015 - BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Diego Padgurschi /Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL - 09-05-2015 - BM & F Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo. (Foto: Diego Padgurschi /Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa de Valores brasileira teve a maior queda diária percentual em seis meses nesta quarta-feira (28), devolvendo boa parte dos ganhos de outubro em meio a temores de que o crescimento de casos de coronavírus no mundo resulte em novas medidas de confinamento e dificulte a recuperação das economias.

O Ibovespa, principal índice acionário do país, encerrou a sessão desta quarta-feira com queda de 4,25%, aos 95.368 pontos, com todos os 77 papéis de sua carteira em queda. Foi o maior recuo percentual desde 24 de abril, quando o índice caiu 5,45%.

Na semana, o índice acumula perda de 5,79% e, no mês, acumula agora leve alta de 0,84%. O volume financeiro somou R$ 29,787 bilhões.

No exterior, a preocupação acerca dos novos casos de Covid-19 também deram um tom negativo para as Bolsas. Nos EUA, Dow Jones, S&P e Nasdaq caíram 3,43%, 3,53% e 3,73%, respectivamente. O Euro Stoxx 50, principal índice acionário europeu, recuou 3,49%.

A maior aversão ao risco no mundo também abriu espaço para uma valorização do dólar ante o real. A moeda americana subiu 1,44%, cotada em R$ 5,7650.