Mercado abrirá em 8 h 34 min

Bolsa abre com leve queda de 0,28%, e dólar vai a R$ 4,49

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.08.2011: MERCADO-FINANCEIRO: Vista interna da sede da Bovespa, em São Paulo. (Foto: Alessandro Shinoda/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa brasileira abriu nesta sexta-feira (28) com leve queda de 0,28%, a 102.703 pontos. A baixa é suavizada pela alta dos papéis do setor bancário, que têm grande peso no índice Ibovespa.

Este é o quinto pregão consecutivo em que a Bolsa registra baixa. Desde a volta de feriado de Carnaval, a queda acumulada é de quase 10%.

Já o dólar comercial, no momento da abertura do Ibovespa, apresentava leve queda de 0,37%, a R$ 4,4950. Na quinta (27), a Bolsa brasileira fechou em queda de 2,6%, a 102.983 pontos, enquanto a moeda americana subiu 0,6%, a R$ 4,77, chegando ao novo recorde nominal.

No exterior, ainda nesta sexta, as ações europeias caíram e estão a caminho do seu maior declínio semanal desde a crise financeira de 2008 com investidores temendo que a rápida disseminação do coronavírus fora da China possa desencadear uma recessão global.

Às 9h, a Bolsa de Milão operava em queda de 2,67%, enquanto Frankfurt recuava 3,2% e Madrid, 2,67%.

O pan-regional STOXX 600 caiu 2,7%, entrando ainda mais em território de correção, uma queda de 10% em relação ao seu pico recente, assim com os mercados dos Estados Unidos da América e da Ásia. Atualmente, o índice está 12,7% abaixo dos máximos recordes de todos os tempos.

O setor mineiro, as ações de viagens e lazer e o setor de tecnologia sofreram o maior impacto com uma queda de mais de 3%.

O proprietário da British Airways registou o maior declínio do STOXX 600, depois de anunciar que o coronavírus iria impactar os resultados este ano, mas não dizendo até que ponto devido à característica de rápida evolução do surto.

A BASF da Alemanha também alertou que os seus lucros poderão cair ainda mais este ano, uma vez que as consequências do surto pesam na procura dos seus clientes industriais. As suas ações caíram cerca de 3%.