Mercado abrirá em 4 h 16 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,48
    -1,17 (-1,38%)
     
  • OURO

    1.787,80
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    60.084,65
    -2.353,07 (-3,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.459,62
    -45,53 (-3,02%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.273,58
    -4,04 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.607,86
    -430,41 (-1,65%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.578,50
    +33,50 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4602
    +0,0061 (+0,09%)
     

Bolhas de gás revelam que esta estrela está chegando a seus estágios finais

·2 minuto de leitura

A estrela AG Carinae vive um conflito entre duas forças — a pressão interna causada pela fusão nuclear e a gravidade externa, que quer empurrar todo o material estelar para o centro. Eventualmente, a gravidade vencerá, e a estrela explodirá em uma supernova, mas isso ainda vai demorar um tempo para acontecer. No momento, podemos apreciar as transformações que ocorrem por lá.

Em uma imagem de 2020, o Hubble mostra como a estrela azul massiva evoluiu nos últimos anos, se compararmos com a foto de 2014. Podemos ver uma concha ao redor de um "pequeno" círculo azul (cor que representa a poeira iluminada pela própria estrela). A concha ganhou cores vermelhas na paleta do Hubble (cor que representa o gás ejetado da estrela, predominantemente hidrogênio e nitrogênio).

Imagem de 2020 da estrela AG Carinae (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/A. Nota/C. Britt)
Imagem de 2020 da estrela AG Carinae (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/A. Nota/C. Britt)

Na segunda imagem, o azul ganha maior destaque, expandindo-se rumo às bordas da concha, em contraste com o gás distribuídos nas camadas externas. Os astrônomos cogitam que as bolhas de poeira e os filamentos que vemos em azul foram moldados por um vento estelar emitido pela AG Carinae.

Este vento percorre o espaço a cerca de 250 mil km/h, mais rápido que a própria expansão da concha. Por isso a poeira azul conseguiu alcançar os gases externos. Quando o vento aumenta, as bolhas de gás são empurradas para fora e abrem uma cavidade na concha ao redor da estrela.

Todos esses fenômenos ocorrem porque a AG Carinae está em seus estágios finais antes de explodir em supernova. No final da vida de uma estrela azul e massiva como esta, a pressão interna da radiação começa a diminuir e a gravidade empurra o material em direção ao núcleo quente. À medida que isso ocorre, essa matéria aquece ainda mais e cria erupções.

Imagem de 2014 da estrela AG Carinae (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/A. Nota/C. Britt)
Imagem de 2014 da estrela AG Carinae (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/A. Nota/C. Britt)

Essas erupções ejetam material para fora da estrela, formando uma concha como esta que vemos nas imagens. Embora sejam os surtos de uma estrela agonizante, a erupção ocorreu há cerca de 10 mil anos, e ainda pode demorar bastante até que a AG Carinae finalmente exploda.

Antes disso, é provável que ela fique sem hidrogênio e sofra sucessivas explosões menores, como esta erupção, transformando-se em uma estrela Wolf-Rayet (um tipo de estrela massiva que funde hélio ou elementos mais pesados no núcleo). AG Carinae tem cerca de 55 a 70 vezes a massa do Sol, o que faz dela instável, de vida curta.

Com este conjunto de características, a AG Carinae é uma estrela rara, principalmente porque as demais do seu tipo "costumam" explodir rápido. Acompanhar esses processos de perto é uma oportunidade única para os astrônomos compreenderem melhor como as estrelas gigantes azuis se comportam no fim da vida.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos