Mercado abrirá em 3 h 19 min

Bolívia: Sem acordo, governo pode convocar eleição por decreto, diz jornal

Valor

Ministro do Interior negou que o governo interino tenha interesse de permanecer no poder “para além do que estabelece a Constituição” O impasse político na Bolívia pode levar o governo interino de Jeanine Añez a convocar eleições presidenciais por meio de decreto, informa o jornal local “El Deber”. O motivo seria a falta de entendimento com partidários de Evo Morales, do Movimento ao Socialismo (MAS).

“Se percebermos dificuldades para convocar as eleições, uma das sugestões que o ministério fará à presidente é que convoquemos, de maneira imediata, eleições através de algum outro instrumento legal”, explicou o ministro do Interior, Jerjes Justiniano, em entrevista à rádio Panamericana, da Bolívia.

O ministro negou que o governo interino tenha interesse de permanecer no poder “para além do que estabelece a Constituição”. Justiniano, contudo, não esclareceu para quando um novo pleito seria convocado.

Jorge Saenz/AP

As negociações entre governo e MAS não tiveram desdobramentos positivos desde que Añez declarou-se presidente da Bolívia.

Nesta segunda-feira, a ministra das Relações Exteriores, Karen Longaric, comunicou ter entrado em acordo com a embaixada do México em La Paz para dar salvo conduto a “24 pessoas do alto escalão do MAS” que receberam asilo político do país.

“A embaixadora do México na Bolívia nos fez chegar a uma nota para que esses asilados diplomáticos possam sair do país e embarcar rumo ao México, então vamos processar isso nos próximos dias, a partir de hoje”, explicou.

Na semana passada, Morales recebeu apoio do México para deixar a Bolívia e desembarcar no país.