Mercado fechará em 1 h 6 min
  • BOVESPA

    109.225,70
    +123,71 (+0,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.544,74
    -963,61 (-1,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,24
    -0,31 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.833,30
    -9,30 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    38.400,71
    -4.690,72 (-10,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    902,24
    +659,56 (+271,78%)
     
  • S&P500

    4.439,45
    -43,28 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    34.521,73
    -193,66 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.635,00
    -206,00 (-1,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1676
    +0,0375 (+0,61%)
     

Bolívia registra novo recorde de contágios e não descarta presença de ômicron

Pessoa realiza teste de covid em drive-thru em Santa Cruz, na Bolívia, em 29 de dezembro de 2021 (AFP/Rodrigo URZAGASTI)

O governo da Bolívia não descartou nesta sexta-feira (31) que a variante ômicron esteja circulando no país, depois que foi registrado um novo recorde de contágios, o maior desde março de 2020.

"Não podemos descartar a presença da variante ômicron", afirmou em coletiva de imprensa o ministro da Saúde, Jeyson Auza, que acrescentou que foram detectadas outras cepas na maioria dos testes realizados.

"Identificamos estas variantes: principalmente a delta, a mu e, em menor proporção, a gama e a lambda", explicou.

A ômicron, contudo, já está presente em países vizinhos, como Argentina, Brasil e Chile.

A Bolívia registrou na quinta-feira 7.980 infectados, um novo recorde desde que os primeiros casos começaram a ser detectados em 2020.

A região de Santa Cruz, a mais populosa e pujante da nação sul-americana, se tornou o epicentro da quarta onda, ao reportar 5.926 doentes na quinta-feira, 74,26% do total nacional.

O país de 11,5 milhões de habitantes soma mais de 599.750 casos acumulados e mais de 19.680 óbitos desde o início da pandemia. O Ministério da Saúde assegura que, nesta quarta onda, iniciada em novembro, a taxa de letalidade está em 0,8%.

Diante do aumento exponencial de casos nesta semana, o ministro Auza pediu que a população retomasse as medidas de biossegurança, como a higiene frequente das mãos, o uso de máscaras e a ventilação de ambientes fechados.

"Se continuarmos nesta lógica de aumento dos casos, se não contarmos com o apoio da população, lamentavelmente vamos ver nossa capacidade de mitigação reduzida", alertou.

A Bolívia decretou que, a partir de 1º de janeiro, todas as pessoas que comparecerem a lugares públicos e viajarem por via aérea ou terrestre deverão apresentar um certificado com o esquema completo de vacinação.

Já os não vacinados deverão apresentar um teste PCR ou antigênico feito até 48 horas antes de comparecer a um lugar público.

jac/lda/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos