Mercado abrirá em 3 h 5 min
  • BOVESPA

    110.786,43
    +113,67 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.298,20
    -104,50 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,84
    -0,58 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.786,80
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    65.875,42
    +1.754,41 (+2,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.550,38
    +69,57 (+4,70%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.196,57
    -26,53 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    26.017,53
    -118,49 (-0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.342,75
    -34,75 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4485
    -0,0711 (-1,09%)
     

Bolívia propõe na ONU alívio mundial para dívida externa por efeitos da pandemia

·1 minuto de leitura
O presidente da Bolívia, Luis Alberto Arce Catacora, durante o seu discurso na 76ª sessão Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York, em 23 de setembro de 2021 (AFP/Mary Altaffer)

O presidente da Bolívia, Luis Arce, sugeriu nesta quinta-feira (23) na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que a comunidade internacional busque acordos com as organizações financeiras para um alívio global da dívida externa, porque a pandemia de covid-19 expôs a vulnerabilidade das nações.

"A Bolívia propõe avançar em acordos com os organismos financeiros multilaterais para o refinanciamento e o alívio da dívida externa em nível global", afirmou o governante do país sul-americano em seu discurso na sede da ONU em Nova York.

Arce ressaltou que "a pandemia de covid-19 mostrou a fragilidade de nossas sociedades e Estados, gerando impactos negativos sem precedentes na saúde, na economia e na educação".

Nesse sentido, o líder boliviano considerou indispensável a reconstrução da economia das nações, porque a pandemia "expôs as vulnerabilidades e desigualdades do sistema financeiro e da economia mundial" e pediu que os mecanismos financeiros internacionais disponibilizassem "empréstimos concessionais".

O líder boliviano também aproveitou o seu discurso na Assembleia Geral para manifestar sua condenação "ao bloqueio sobre Cuba", que "põe em risco" a vida de seus habitantes, e destacou que considera essa política "um crime contra a humanidade".

Durante a sua estadia em Nova York, Arce manteve reuniões com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, com o ganhador do Nobel de Economia Joseph Stiglitz, e com o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Mauricio Claver-Carone.

bur/jac/dga/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos