Mercado abrirá em 4 h 50 min
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,34
    +0,85 (+1,21%)
     
  • OURO

    1.778,00
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    42.482,18
    -727,36 (-1,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.059,35
    -4,50 (-0,42%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    7.033,68
    +52,70 (+0,75%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.052,50
    +28,50 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1771
    -0,0020 (-0,03%)
     

Bogotá fecha estádios de futebol ao público após briga de torcidas

·2 minuto de leitura
Torcedores do Atlético Nacional chutam um torcedor do Independiente Santa Fe, que está caído, nas arquibancadas do estádio El Campín, em Bogotá, 3 de agosto de 2021

A prefeitura de Bogotá suspendeu a entrada de torcedores aos estádios de futebol após incidentes nas arquibancadas entre torcedores que também invadiram o gramado do estádio El Campín, durante o primeiro jogo com público em um ano e meio de pandemia.

Ao menos três pessoas ficaram feridas nos enfrentamentos registrados na noite de terça-feira entre torcedores do Atlético Nacional de Medellín e do Santa Fe, segundo a prefeita da capital, Claudia López.

A partir disso, López anunciou no Twitter a ordem de "suspender por prazo indeterminado a entrada de público" nos estádios El Campín e Techo, na capital colombiana, e qualificou como "inaceitável" o comportamento de alguns torcedores violentos.

Em vídeos divulgados por autoridades, veem-se os torcedores invadindo o gramado durante o intervalo da partida, enquanto outros se enfrentavam aos socos nas arquibancadas, com a polícia perto.

Alguns torcedores arrancaram as cadeiras para agredir seus adversários.

Edison Romario, de 26 anos, "foi agredido violentamente por torcedores do Nacional. Sofreu trauma crânio-encefálico moderado e fratura no nariz. Felizmente encontra-se fora de perigo", informou o secretário de governo, Luis Ernesto Gómez.

A torcida do time de Medellín foi vetada dos estádios da capital por um ano e as demais equipes visitantes não poderão entrar até o fim do ano, anunciou López.

Três pessoas foram detidas, segundo o balanço da prefeitura.

"Repudiamos os atos de violência e intolerância ocorridos no estádio El Campín de Bogotá", afirmou nesta quarta-feira, pelo Twitter, o presidente da Colômbia, Iván Duque.

A partida, válida pela terceira rodada do torneio Clausura-2021 do futebol colombiano, foi paralisada por mais de uma hora por causa da confusão.

No entanto, o árbitro do jogo, Carlos Betancur, decidiu retomá-la depois que a polícia assumiu o controle do gramado e o público voltou às arquibancadas.

As equipes saíram para o intervalo com o placar em 0-0. O visitante Atlético Nacional acabou vencendo por um gol no segundo tempo do volante Baldomero Perlaza.

As principais cidades da Colômbia autorizaram a volta do público a eventos esportivos e culturais, em um momento em que o pico mais letal da pandemia arrefece.

Com 50 milhões de habitantes, a Colômbia, com 121.500 mortos, é o terceiro país da América Latina com mais óbitos pela covid-19 proporcionalmente à sua população (2.360 mortos por milhão de habitantes), depois do Peru e do Brasil.

O chefe da Dimayor, entidade que rege o futebol no país, apoiou as medidas anunciadas pela prefeita, que permitirão identificar quem cometer crimes em eventos esportivos.

"(Vamos) vetar sua entrada por toda a vida em qualquer estádio do país", anunciou.

lv/vel/ma/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos