Mercado fechará em 6 h 43 min
  • BOVESPA

    119.920,61
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.934,91
    +535,11 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,25
    -0,46 (-0,71%)
     
  • OURO

    1.837,00
    +21,30 (+1,17%)
     
  • BTC-USD

    57.328,14
    -99,34 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.494,20
    +22,78 (+1,55%)
     
  • S&P500

    4.201,62
    +34,03 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    34.548,53
    +318,19 (+0,93%)
     
  • FTSE

    7.110,28
    +34,11 (+0,48%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.765,00
    +167,25 (+1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3615
    -0,0051 (-0,08%)
     

BofA conecta emissores de títulos com bancos de minorias nos EUA

Molly Smith e Caleb Mutua
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Bank of America realizou uma conferência na semana passada para conectar bancos administrados por minorias com empresas que captam recursos no mercados de títulos, em um esforço para aumentar a diversidade na subscrição de dívida.

O banco com sede em Charlotte, Carolina do Norte - consistentemente um dos maiores subscritores em vendas de títulos corporativos com grau de investimento nos Estados Unidos nas últimas duas décadas - também busca elevar a proporção das comissões que as empresas pagam a bancos controlados por minorias que fazem parte do grupo de instituições que coordenam a emissão de títulos, disse Andrew Karp, responsável por mercados de capitais com grau de investimento do banco. Ele não quis fornecer números específicos.

O evento da semana passada incluiu mais de 200 empresas e 27 bancos administrados por minorias, mulheres e veteranos de guerra.

“É importante que façamos a nossa parte para aumentar a diversidade, inclusão e igualdade no setor financeiro e levamos isso a sério”, disse Karp. “Há um objetivo maior e uma perspectiva mais ampla que vai além de apenas pensar sobre o último dólar na receita, mesmo que isso signifique ganhar menos em uma transação.”

O Bank of America tomou medidas para melhorar seu alcance às comunidades de minorias e ajudar a promover a igualdade, como a promessa de US$ 1,25 bilhão nos próximos cinco anos para combater a desigualdade racial e econômica. O CtW Investment Group, que realiza ativismo de acionistas em nome das pensões sindicais, registrou uma resolução de acionistas para obrigar o banco a fazer uma auditoria sobre igualdade racial.

O Bank of America disse aos acionistas para votar contra a medida, e disse que qualquer auditoria é desnecessária devido ao progresso da empresa em igualdade racial.

Firmas pertencentes a minorias, mulheres e veteranos têm conquistado mais negócios desde que George Floyd foi morto pela polícia dos EUA no ano passado, gerando um maior reconhecimento racial em empresas americanas, como a Verizon Communications, Allstate e State Street, que participaram do evento. Esse movimento também gerou mais emissões de títulos com participação de firmas com minorias no comando.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.