Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.808,50
    +8,80 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    40.005,57
    +1.016,33 (+2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.981,00
    -30,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0669
    +0,0084 (+0,14%)
     

Boeing interrompe entregas do 787 devido a novo problema

·2 minuto de leitura

O Boeing 787 é constantemente apontado como o avião mais moderno e eficiente em atividade no mundo, mas nem mesmo um projeto tão vencedor quanto este está imune à falhas. De acordo com levantamento da FAA (Administração Federal da Aviação, a "Anac dos EUA"), a fabricante descobriu um defeito na fuselagem da aeronave que afeta diretamente o sistema de pressurização.

Segundo a Boeing, o problema está localizado no nariz da aeronave, em um local com formato arredondado logo à frente do painel de instrumentos do cockpit. Essa estrutura é a responsável por garantir parte da pressurização, para que seja possível entrar no avião e passar horas nele sem maiores problemas. Mesmo que esse defeito não atrapalhe a segurança do voo em si, necessita de reparo imediato para que as entregas continuem a serem feitas.

"A FAA está ciente de um problema de qualidade de fabricação próximo ao nariz em alguns 787 Dreamliners no estoque da empresa que não foram entregues. Este problema foi descoberto como parte da inspeção contínua de todo o sistema dos processos do 787 exigidos pela FAA. Embora o problema não represente uma ameaça imediata à segurança de voo, a Boeing se comprometeu a consertar esses aviões antes de retomar as entregas", diz o comunicado da agência.

(Imagem: Divulgação/Boeing)
(Imagem: Divulgação/Boeing)

A Boeing segue em recuperação econômica depois da forte crise causada pelo 737 Max. Essa paralisação já é a segunda em pouco menos de um ano, já que também foram necessárias inspeções no 787 em 2020. Segundo a fabricante, a expectativa era de entregar aproximadamente 100 unidades do 787 Dreamliner em 2021, número que foi revisto em anúncio recente da empresa.

Segundo a Aero Magazine, o 787 completou oito anos de operações no Brasil no último dia 1° de julho.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos