Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.318,61
    +1.912,41 (+4,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

BOE deve ultrapassar Samsung em produção de telas graças ao iPhone 13

·2 min de leitura

Apesar da rivalidade mercadológica, Samsung e Apple são grandes parceiras. Há tempos a sul-coreana fornece suas telas para os iPhones, e está tudo bem: são divisões distintas de operação e todo mundo ganha com isso.

A maior parte dos iPhones conta com telas fornecidas pela Samsung, com a LG sendo responsável ainda por uma quantia razoável e a chinesa BOE aparecendo como novata na lista de fornecedoras da Maçã com uma pequena fatia dos displays usados em produtos remanufaturados. No ano passado a empresa quase foi “promovida”, mas falhou nos testes de qualidade de Tim Cook.

(Imagem: Divulgação/Apple)
(Imagem: Divulgação/Apple)

A situação, agora, está mudando: a Apple deu aval para a BOE fabricar telas de 6,1 polegadas OLED para a linha iPhone 13. As telas serão fabricadas na planta B11, na província de Sichuan. Inicialmente o pedido estaria na ordem de 15 milhões de telas OLED, a serem empregadas não apenas no iPhone 13, como também no iPhone 12. No próximo ano, quando uma nova fábrica da BOE estiver em plena operação, a companhia conseguirá aumentar em 50% sua produção de painéis (chegando a 144 mil/mês) — ultrapassando temporariamente a Samsung, que em 2023 deve alcançar 165 mil substratos mensais.

Se agradar Tim Cook, a BOE pode pegar pedidos ainda maiores no futuro, reduzindo a participação da LG e da Samsung na fabricação de telas do iPhone. É difícil, porém, que uma destas seja substituída por completo, já que parcerias comerciais são mais que úteis nesse mercado — são estratégicas. A Apple dificilmente fechará as portas para as sul-coreanas tão tradicionais no segmento de displays.

Grande momento da BOE

Para além da notícia positiva aos cofres da BOE, a relevância da marca no mercado aumenta, já que trabalhar com os celulares da Apple transmite uma mensagem bastante positiva de atestado de qualidade para as telas da companhia.

A responsabilidade é grande, já que se trata do melhor display já produzido para um celular da Apple — que conta inclusive com brilho recorde. Se a BOE passou nos protocolos de qualidade da Maçã, é difícil que vejamos ela envolvida em problemas dessa ordem. Mais pedidos devem chegar, inclusive de outras empresas, e a expansão das plantas produtivas auxiliará nesta nova demanda.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos