Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,75
    -0,32 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.801,70
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    37.915,18
    +3.931,15 (+11,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    902,23
    +108,49 (+13,67%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.947,62
    +399,62 (+1,45%)
     
  • NASDAQ

    15.082,75
    -15,25 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1187
    -0,0029 (-0,05%)
     

BNDES libera R$1,6 bi para 10 parques eólicos em Pernambuco e Piauí

·1 minuto de leitura

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai financiar 1,6 bilhão de reais para a implantação de dez parques eólicos, com 409,20 MW de capacidade, da VTRM Energia Participações, joint venture entre a Votorantim Energia e o fundo canadense CPP Investments, informou o banco nessa quinta-feira.

As novas usinas, que devem começar a operar em 2022, compõem os Complexos Eólicos Ventos do Piauí II e III, nos municípios de Betânia do Piauí, Curral Novo do Piauí, Paulistana, no Piauí, e Araripina e Ouricuri, em Pernambuco.

O financiamento será direcionado a 10 sociedades de propósitos específicos (SPEs) pertencentes à VTRM Energia Participações.

"O apoio à expansão das energias renováveis no Brasil continua sendo uma estratégia de atuação do BNDES, permitindo maior desenvolvimento do mercado livre e propiciando que os investidores de ativos sustentáveis possam estabelecer parcerias comerciais com consumidores comprometidos com a agenda ESG", afirmou em nota a superintendente de Energia do BNDES, Carla Primavera.

Cada complexo eólico vai se conectar ao Sistema Interligado Nacional (SIN) por meio de uma linha de transmissão até a subestação Curral Novo do Piauí II, que já está operacional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos