Mercado abrirá em 9 h 11 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,45
    -0,01 (-0,02%)
     
  • OURO

    1.763,10
    -3,70 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    63.127,97
    +35,77 (+0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.401,88
    +20,93 (+1,52%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.840,41
    +47,27 (+0,16%)
     
  • NIKKEI

    29.682,66
    +39,97 (+0,13%)
     
  • NASDAQ

    13.975,25
    -38,75 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7150
    -0,0061 (-0,09%)
     

BNDES libera quase R$700 mi para projeto de celulose da Duratex

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quinta-feira que aprovou crédito de 697 milhões de reais para a Duratex construir uma fábrica de celulose solúvel.

Com capacidade de 500 mil toneladas por ano, a planta sediada em Minas Gerais tem início da operação previsto para 2022. O projeto é concentrado na LD Celulose, joint venture criada em 2019 pela Duratex com a austríaca Lenzing, líder mundial na produção de fibras de celulose.

A Duratex tem 49% no capital da LD. O investimento estimado do projeto é de cerca de 5,2 bilhões de reais. A Duratex participará com aporte de ativos florestais e financeiros.

"Com o projeto, a Duratex diversifica seus negócios e aumenta o retorno de seus ativos florestais", afirmou o BNDES sobre a companhia brasileira controlada pela Itaúsa e especializada em louças sanitárias e paineis de madeira.

A produção na nova planta será comprada pela Lenzing e usada na fabricação de viscose, usada para fios de tecidos.

(Por Aluísio Alves)