Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,30
    +0,07 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.761,70
    -17,10 (-0,96%)
     
  • BTC-USD

    43.565,68
    +1.389,40 (+3,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,66
    +53,18 (+5,11%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.580,29
    +358,75 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.199,00
    +35,50 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2070
    -0,0018 (-0,03%)
     

BNDES financiará projeto blockchain no estado do Paraná

·3 minuto de leitura
Edifício sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social) no centro da cidade do Rio de Janeiro
Edifício sede do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social) no centro da cidade do Rio de Janeiro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiará um projeto de modernização que inclui a tecnologia blockchain no estado do Paraná, atravessando um processo de transformação digital.

A expectativa da administração estadual é que as novas ferramentas que surjam como fruto dessa parceira permitam mais controle sobre os gastos e transparência para a população.

Com experiência no desenvolvimento de sua própria blockchain, o BNDES foi pioneiro no Brasil nesse setor. O banco tem até um token, chamado BNDES Token, que foi fruto de uma experiência de inovação entre funcionários.

Em 2020, o BNDES já havia financiado outro projeto de blockchain ligado a smart cities, mostrando ser de interesse do banco público melhorias neste setor, que pode ajudar até no combate à corrupção no Brasil.

BNDES financia projeto que inclui blockchain do Estado do Paraná

Para Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, o financiamento a nova ferramenta a empresa pública federal mostra que segue apoiando iniciativas promissoras de estados e municípios.

“O projeto abre uma frente de trabalho promissora na parceria de longa data que o BNDES tem com estados e municípios para apoio ao investimento público fiscalmente responsável”.

O novo alvo do financiamento será na Controladoria Geral do Estado do Paraná, que fiscaliza o uso de recursos públicos. Com o novo aporte, serão criadas ferramentas que tornam mais rápida a detecção de fraudes ou irregularidades em pagamentos. Para Bruno, essas inovações potencializam as políticas públicas.

“A inovação em sistemas e processos de controle interno pode contribuir decisivamente para ampliação da fiscalização do uso de recursos públicos, potencializando o impacto das políticas públicas e melhorando o ambiente de negócios”.

O principal destaque do programa de modernização do controle de gastos do Paraná é no projeto Harpia. Essa solução, que incluirá em breve a tecnologia blockchain, será fundamental para que o estado tenha mais transparência para sua população.

O controlador-geral do Paraná, Raul Siqueira, falou que o projeto Harpia receberá grande parte dos recursos que virão do BNDES.

“O Harpia receberá praticamente a metade dos recursos, pois com ele melhoraremos os indicadores de todas as áreas afetas à CGE. Com a modernização dos sistemas, a detecção de falhas ou desvios em procedimentos licitatórios será praticamente automática”.

Investimento total de R$ 52 milhões na melhoria do processo

A conclusão do projeto do Estado do Paraná apoiado pelo BNDES e que inclui até a blockchain está prevista para 2024. Para isso, o financiamento da solução levantou R$ 51,5 milhões, com o banco público contribuindo com R$ 46,3 mi.

Mas essa solução poderá impactar o Brasil todo após pronta, afirmou o superintendente da Área de Gestão Pública e Socioambiental do BNDES, Julio Leite, que espera um impacto e estímulo para o aperfeiçoamento da política pública em outros estados.

“Ao ampliar a capacidade de detecção de fraudes e ineficiências nas compras públicas e ao aumentar o controle social sobre os gastos, o projeto terá um efeito demonstração importante e poderá ser replicado como uma iniciativa de fortalecimento dos controles internos do setor público em todo o país, conforme diretrizes da CGU e do TCU”.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos