Mercado abrirá em 2 h 13 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,07
    +0,57 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.636,00
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    19.085,87
    -1.163,90 (-5,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    435,90
    -23,24 (-5,06%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.942,68
    -41,91 (-0,60%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.268,50
    -65,25 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1336
    -0,0263 (-0,51%)
     

BNDES financia ilegalmente loja de armas no RS, denuncia jornal

Dinheiro do BNDES foi destinado à loja de armas no RS em financiamento ilegal. Foto: REUTERS / Diego Vara.
Dinheiro do BNDES foi destinado à loja de armas no RS em financiamento ilegal. Foto: REUTERS / Diego Vara.

Resumo da notícia:

  • Empresário conseguiu financiamento do BNDES para clube de tiro;

  • O banco estatal proíbe concessão de empréstimo para o comércio de armas;

  • Dono da empresa incluiu “comércio varejista de armas e munições” na lista de atividades do negócio.

O oficial reformado da PM e empresário Ivan Keller, dono do Clube de Tiro Keller, conseguiu um aporte de R$ 130 mil com juros de 5,45% do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar o "ensino de esportes" no seu estabelecimento em 2021.

Segundo o jornal "O Estado de S. Paulo", os recursos bancados pela empresa pública possibilitaram que o major da reserva da Polícia Militar entrasse no comércio varejista de armas e munições do Rio Grande do Sul, o que é irregular, pois esse tipo de patrocínio é taxativamente proibido pela instituição financeira de fomento.

Leia também:

Porém, agora, um ano depois, com o contrato ainda vigente e antes da quitação do financiamento, Keller já se prepara para abrir uma loja de armas no município de Santa Cruz do Sul.

Em 1° de julho, a empresa do oficial reformado da PM inseriu ‘comércio varejista de armas e munições’ na lista de atividade econômicas. Mas se o ramo citado tivesse constado no período da solicitação do empréstimo, o financiamento não poderia ser liberado.

“O financiamento do BNDES ao comércio varejista de armas e munições não é permitido e as capacidades de fiscalização dessa proibição precisam ser priorizadas”, disse a gerente de advocacy do Instituto Igarapé, Michele dos Ramos.

“Além dos riscos associados ao desvio deste apoio para uma atividade expressamente proibida que este caso revela, vivemos um contexto de bastante gravidade com relação à baixa capacidade de fiscalização do estado das atividades envolvendo armas e munições e desses arsenais”, continuou.

Em meio à denúncia, o BNDES alega que mandou investigar possíveis irregularidades no empréstimo ao projeto de Keller.

*As informações são do Estadão.