Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.375,25
    -1.185,58 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.728,87
    -597,81 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,20
    +4,75 (+5,37%)
     
  • OURO

    1.701,80
    -19,00 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    19.583,22
    -338,64 (-1,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,50
    -9,53 (-2,09%)
     
  • S&P500

    3.639,66
    -104,86 (-2,80%)
     
  • DOW JONES

    29.296,79
    -630,15 (-2,11%)
     
  • FTSE

    6.991,09
    -6,18 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.096,25
    -445,50 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0768
    -0,0367 (-0,72%)
     

BNDES diz que avaliará com Ministério da Economia cronograma para concluir devolução de empréstimos

Moedas de real

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após o Tribunal de Contas da União ter determinado a aceleração da devolução ao Tesouro de empréstimos feitos ao BNDES em governos petistas para capitalizar o banco, a instituição informou nesta quinta-feira que avaliará um cronograma com o Ministério da Economia para o pagamento do passivo.

O BNDES disse em nota que esse cronograma levará em conta as condições de liquidez e governança do banco de forma a não haver exposição da instituição.

O banco disse já ter devolvido "quase a totalidade" dos empréstimos feitos ao Tesouro e julgados irregulares pelo TCU, em um total de 630,232 bilhões de reais, considerando principal e juros, dos quais cerca de 30 bilhões pagos este ano.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem acusado a área jurídica do BNDES de criar obstáculos aos pagamentos à União. No início do mês, ele afirmou que o banco ainda teria um passivo de 90 bilhões de reais com o Tesouro, e que o pagamento viabilizaria a redução da relação dívida/PIB este ano para cerca de 76%.

Na quarta-feira, o TCU determinou a aceleração da devolução dos pagamentos feitos pelo Tesouro ao BNDES. O tribunal decidiu, ainda, instaurar processo específico para avaliar a eventual utilização indevida pelas instituições financeiras federais dos recursos ainda não devolvidos à União.

(Por Rodrigo Viga Gaier)