Mercado fechado

BNDES cria programa para apoio a pequenas e médias empresas

Com orçamento de R$ 2 bilhões, programa apoiará as PMEs por meio das “empresas-âncora” O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) criou mais um programa para o apoio a empresas afetadas pela crise econômica decorrente da pandemia de covid-19. O BNDES Crédito Cadeias Produtivas atenderá à necessidade de capital de giro de pequenas e médias empresas (PMEs) que integram cadeias produtivas de todos os setores da economia.

O programa tem orçamento de R$ 2 bilhões e apoiará as PMEs por meio das chamadas empresas-âncora‚ que serão as beneficiárias diretas dos empréstimos junto ao BNDES. Essas empresas serão responsáveis por repassar o dinheiro para a sua cadeia de fornecedores, distribuidores ou franqueados. As PMEs ancoradas poderão usar esse capital de forma livre para se manter durante a crise.

Leo Pinheiro/Valor

Os recursos entregues pelo BNDES às grandes empresas serão repassados às empresas da cadeia produtiva nas mesmas condições financeiras previstas no contrato de empréstimo da empresa-âncora. Ou seja, nesse sistema, as grandes empresas farão o papel de repassar os recursos financeiros às PMEs, mas sem obter lucro financeiro com essa operação.

As empresas-âncora deverão ter Receita Operacional Bruta igual ou superior a R$ 300 milhões e os valores de financiamento do BNDES serão entre R$ 10 milhões e R$ 200 milhões. A taxa de juros desses financiamentos será a soma do custo financeiro do banco, da sua remuneração básica de 1,1% ao ano e da taxa de risco de crédito definida para cada empresa-âncora. O prazo dos empréstimos é de até cinco anos, com até dois anos de carência.

Pedidos de empréstimos poderão ser apresentados até o dia 30 de setembro e os trâmites para a concessão de crédito seguirão a Esteira de Crédito Emergencial, desenvolvida no Plano de Ação Emergencial de combate à pandemia da covid-19 para agilizar o tempo usual de processamento.

O Programa BNDES Crédito Cadeias Produtivas faz parte de uma série de medidas emergenciais voltadas a diversos setores da economia, que vêm sendo anunciadas desde o início da pandemia. Até o momento, as principais ações do banco totalizam R$ 15,5 bilhões em valores aprovados a cerca de 126 mil empresas, que empregam quase 4 milhões de brasileiros.