Mercado abrirá em 10 mins
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,63
    +0,24 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.831,00
    +26,40 (+1,46%)
     
  • BTC-USD

    39.742,16
    -202,84 (-0,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    932,23
    +2,31 (+0,25%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.082,03
    +65,40 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.782,42
    +200,76 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    14.994,75
    -16,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0318
    -0,0267 (-0,44%)
     

BNDES contrata consórcio para estruturar projeto de conclusão de Angra 3

·1 minuto de leitura
Complexo de energia nuclear de Angra dos Reis, RJ

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinou contrato com o consórcio Angra Eurobras NES para a estruturação do projeto de retomada e conclusão das obras da usina nuclear de Angra 3, no Rio de Janeiro, informou o banco de fomento nesta terça-feira.

Formado pelas empresas Tractebel Engineering (líder) e Empresários Agrupados Internacional, o consórcio terá a atribuição de definir a projeção dos investimentos necessários à implementação do projeto, o cronograma detalhado da obra e a especificação de como se dará a contratação de uma ou mais construtoras para a realização dos trabalhos.

Iniciada em 1984, a construção da unidade pela Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, foi interrompida duas vezes --a última em 2015, quando pouco mais de 60% do empreendimento já tinha sido concluído.

Atualmente, a entrada em operação de Angra 3 está prevista para o fim de 2026, com capacidade para gerar mais de 10 milhões de MWh por ano, energia suficiente para atender aproximadamente 6 milhões de residências.

A Eletronuclear, assim como a subsidiária Itaipu, deixarão de ser subsidiárias da Eletrobras, que será privatizada. O governo criará uma nova estatal que irá reunir as duas empresas.

(Por Marta Nogueira)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos