Mercado fechará em 3 h 41 min
  • BOVESPA

    107.923,62
    -478,66 (-0,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.204,36
    -150,50 (-0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,19
    -0,57 (-0,63%)
     
  • OURO

    1.814,30
    +9,10 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    23.070,59
    -877,60 (-3,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,20
    -22,15 (-3,97%)
     
  • S&P500

    4.120,85
    -19,21 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    32.801,28
    -31,26 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.488,15
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    20.003,44
    -42,33 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    27.999,96
    -249,28 (-0,88%)
     
  • NASDAQ

    13.008,00
    -175,25 (-1,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2444
    +0,0350 (+0,67%)
     

BMW vê 2° semestre volátil e mantém fornecimento de chips e energia no radar

Por Victoria Waldersee

BERLIM (Reuters) - A BMW alertou nesta quarta-feira para um segundo semestre altamente volátil, apontando o fornecimento global de chips, bem como de energia na Europa, como crucial para a montadora atingir as metas de lucro do ano.

Os novos pedidos recebidos estavam em queda, mas as carteiras de pedidos para os próximos meses permaneceram preenchidas, disse o presidente-executivo da empresa, Oliver Zipse.

A demanda por modelos elétricos foi particularmente alta, acrescentou o diretor financeiro da companhia, Nicolas Peter. A montadora estava a caminho de cumprir a meta de dobrar as vendas de carros totalmente elétricos até o final do ano, e esperava um crescimento total das vendas de 5% a 10% no segundo semestre, impulsionado pelos mercados asiáticos, disse ele.

Ainda assim, a BMW projeta entregas no ano completo abaixo do recorde de 2021, de 2,52 milhões.

"O fator crucial será como a situação do fornecimento se desenvolverá - não apenas para semicondutores, mas também fornecimento de energia na Europa", disse Zipse.

Por volta de 12h (horário de Brasília), as ações da BMW caíam 6,3%.

Daniel Schwarz, analista da Stifel, classificou o cenário posto pela companhia como "bastante decepcionante", enquanto a Berstein Research destacou que a BMW se tornou a primeira montadora a sinalizar cautela sobre a demanda.

Os lucros da montadora alemã caíram 31% no segundo trimestre, para 3,4 bilhões de euros, apesar do crescimento das receitas. O resultado superou a expectativa de 3,13 bilhões de euros de analistas, segundo pesquisa da Refinitiv.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos