Mercado abrirá em 8 h 58 min
  • BOVESPA

    111.289,18
    +1.085,18 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.037,05
    -67,35 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,75
    -0,60 (-0,69%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -12,80 (-0,70%)
     
  • BTC-USD

    36.014,39
    -837,57 (-2,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    819,21
    -36,60 (-4,28%)
     
  • S&P500

    4.349,93
    -6,52 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.168,09
    -129,61 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.469,78
    +98,32 (+1,33%)
     
  • HANG SENG

    23.826,84
    -463,06 (-1,91%)
     
  • NIKKEI

    26.321,33
    -690,00 (-2,55%)
     
  • NASDAQ

    13.967,25
    -191,25 (-1,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0987
    -0,0077 (-0,13%)
     

BMW sofre processo de R$ 28 milhões por defeito em porta-copos

·1 min de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Nos EUA, uma ação coletiva foi aberta alegando que o porta-copos da BMW X7 é defeituoso e pode causar danos ao sistema de airbag;

  • O processo, de US$ 5 milhões, afirma que outros modelos da montadora contêm o mesmo problema de projeto;

  • Na acusação, o texto diz que os porta-copos não foram desenvolvidos para segurar recipientes cheios adequadamente.

Uma ação coletiva de US$ 5 milhões, ou seja, mais de R$ 28 milhões, foi aberta esta semana no Tribunal Distrital dos EUA, em Orange County, alegando que os porta-copos do BMW X7 são defeituosos por não conseguirem segurar um copo cheio de líquido. É exatamente isso que você leu.

Os autores da ação afirmam que outros veículos da montadora contêm o mesmo defeito de projeto. No enorme texto, a acusação diz que os porta-copos não foram feitos para segurar recipientes cheios adequadamente, ou seja, motivo pelo qual existem.

Leia também:

Quando o líquido é derramado do copo, fios do módulo de controle SRS (o airbag) que ficam abaixo do acessório se danificam, causando possíveis problemas ao sistema e podendo fazer com que o dispositivo de segurança possa disparar precipitadamente.

Contudo, a BMW aborda esse problema há pelo menos trinta anos, e não existem relatos de alguém que tenha se machucado por causa do defeito.

Ainda assim, o processo aponta para diversas histórias e casos postados na internet, inclusive apresentando relatos de contas de conserto avaliadas em US$ 2 mil, o equivalente a mais de R$ 11 mil, que a BMW teria se recusado a pagar, mesmo com o veículo na garantia.

Em 2011, Ludwig Willisch, que no período era CEO da empresa na América do Norte, comentou os casos, ressaltando que, após décadas, os engenheiros não acreditam que o “defeito” seja um real problema.

As informações são do Olhar Digital.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos