Mercado fechará em 2 h 42 min
  • BOVESPA

    109.138,81
    +1.759,89 (+1,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.602,76
    +335,56 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,14
    +2,08 (+4,83%)
     
  • OURO

    1.804,00
    -33,80 (-1,84%)
     
  • BTC-USD

    19.342,57
    +890,61 (+4,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    383,14
    +13,39 (+3,62%)
     
  • S&P500

    3.623,52
    +45,93 (+1,28%)
     
  • DOW JONES

    29.969,51
    +378,24 (+1,28%)
     
  • FTSE

    6.416,73
    +82,89 (+1,31%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.000,00
    +94,75 (+0,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4052
    -0,0351 (-0,55%)
     

BMW alerta sobre riscos de pandemia após recuperação de lucro no 3° tri

Por Edward Taylor
·2 minuto de leitura
.
.

Por Edward Taylor

FRANKFURT, Alemanha (Reuters) - O lucro do terceiro trimestre da BMW aumentou quase 10% graças à demanda chinesa por carros de luxo, mas a montadora alemã alertou que uma nova onda de infecções por coronavírus na Europa e nos Estados Unidos representa um "considerável" risco para seus negócios.

As vendas de modelos de luxo como 8 series e o X7 ajudaram a montadora a alcançar um novo recorde de vendas no trimestre, mas a previsão cautelosa da empresa preocupou investidores nesta quarta-feira.

"Depois de uma fase mais estável no ambiente econômico no terceiro trimestre, a pandemia está claramente recuperando a força", disse BMW. "Se a pandemia assumir um curso ainda mais grave e a economia global sofrer uma desaceleração perceptível, a exposição ao risco pode ser considerável, especialmente do lado da demanda."

As ações da BMW tinham leve alta no final desta manhã, após terem operado em queda mais cedo.

O lucro antes de impostos da BMW se recuperou no terceiro trimestre, com alta de 9,6% para 2,46 bilhões de euros, ajudado pelo aumento de 8,6% nas entregas.

A margem do Ebit (lucro antes de juros e impostos) se recuperou para 6,7%, de 10,4% negativos no segundo trimestre e 6,6% um ano antes.

As vendas das marcas BMW e Mini aumentaram 8,6% no terceiro trimestre, principalmente graças a uma alta de 31% na China, que ajudou a compensar uma queda de 15,7% na demanda nos Estados Unidos, onde a pandemia atingiu fortemente as vendas.

A crescente importância da China levou a BMW a abandonar estratégia de buscar "vendas equilibradas em todos os continentes".

"Não gostamos de nos referir a isso como uma dependência (da China). O que está acontecendo é um ajuste natural", disse o presidente-executivo, Oliver Zipse, a jornalistas em teleconferência.

A China foi responsável por 34% de todas as entregas de carros novos do BMW Group no terceiro trimestre, seguida pela Alemanha com 13% e os Estados Unidos com 12%.