Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.336,46
    +2.134,20 (+4,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Blue Origin perde processo contra a NASA e SpaceX desenvolverá o lander lunar

·3 min de leitura

Será que a disputa jurídica da Blue Origin contra a NASA e por causa da SpaceX chegou ao fim? É que, nesta quinta-feira (4), o juiz Richard Hertling, responsável pelo caso, anunciou que o processo movido pela Blue Origin foi negado, e que todas as partes envolvidas podem selecionar quais partes do documento querem trazer ao público até o dia 14 de novembro.

Este é o desfecho de longos atritos jurídicos que começaram com o contrato para a construção do lander para os pousos lunares tripulados através do programa Artemis. Para levar novos astronautas ao nosso satélite natural, a agência espacial está trabalhando com empresas variadas. A NASA até sugeriu publicamente que poderia selecionar duas empresas para construir os veículos, escolhendo Blue Origin, SpaceX e Dynetics como finalistas para o contrato. Contudo, somente a SpaceX, fundada por Elon Musk, foi escolhida — a empresa ficou com a soma de US$ 2,9 bilhões de dólares para trabalhar em uma versão do veículo Starship para o pouso lunar. E essa decisão da NASA deixou a Blue Origin indignada a ponto de levar o "causo" à justiça.

A "briga" foi iniciada pela decisão da NASA de fechar um contrato somente com a SpaceX para desenvolver os equipamentos necessários para o pouso lunar (Imagem: Reprodução/NASA)
A "briga" foi iniciada pela decisão da NASA de fechar um contrato somente com a SpaceX para desenvolver os equipamentos necessários para o pouso lunar (Imagem: Reprodução/NASA)

Desde a perda do contrato, a Blue Origin tentou vários recursos para reverter a decisão. A empresa apresentou um protesto formal por meio do Escritório de contabilidade do Governo (“GAO”, na sigla em inglês), que foi negado. Depois, Bezos enviou uma carta a Bill Nelson, administrador da NASA, para propôr a construção do lander lunar com um desconto de US$ 2 bilhões, que viriam do próprio bilionário — esta tentativa também não teve sucesso. Em seguida, a Blue Origin fez um protesto no tribunal federal para, novamente, tentar reverter o quadro, e então decisiu abrir um processo contra a NASA por terem escolhido a SpaceX.

As disputas judiciais respingaram no contrato fechado com a SpaceX, que ficou temporariamente suspenso, o que poderia até mesmo atrasar o cronograma do Programa Artemis. Com a decisão de hoje, o juiz concedeu uma moção do réu (ou seja, o governo federal dos EUA) para encerrar o caso.

Em comunicado oficial, a NASA afirmou ter sido notificada sobre a rejeição do protesto da Blue Origin, declarando que retomará o trabalho com a SpaceX o mais rápido possível. Além disso, a agência espacial destacou também que continuará trabalhando com empresas diversas para incentivar a competitividade e prontidão comercial para transportes tripulados na superfície lunar. Por isso, ainda haverá oportunidades para outras empresas fecharem parcerias para ajudar no estabelecimento da presença humana na Lua a longo prazo — tanto que a NASA segue em busca de mais empresas parceiras para a missão Artemis 3.

Como resposta à decisão, a Blue Origin declarou que ainda espera continuar trabalhando com a NASA em possíveis contratos futuros. “A Blue Origin segue profundamente comprometida ao sucesso do programa Artemis, e temos uma ampla base de atividade em contratos múltiplos com a NASA para cumprir o objetivo dos Estados Unidos de voltar à Lua para ficar”, disse a empresa de Jeff Bezos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos