Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.078,21
    +194,76 (+0,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Blue chips seguem sob pressão e Ibovespa inicia última sessão do mês no vermelho

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice brasileiro de ações estendia as perdas da véspera, com investidores vendendo papéis de grande peso no índice, como de Vale, Petrobras e de bancos, para embolsar ganhos recentes.

Às 10:46, o Ibovespa mostrava baixa de 0,13%, aos 119.910,31 pontos. Antes da abertura da sessão, o índice acumulava valorização de 2,94% no mês.

Com movimentos desencontrados das bolsas internacionais, com movimentos positivos das bolsas europeias e tendência também de realização de lucros em Wall Street, os investidores monitoravam a queda das cotações de commodities, diante dos possíveis efeitos da escalada da pandemia da Covid-19 na Índia e seus possíveis desdobramentos sobre a economia global.

No plano doméstico, indicadores macroeconômicos como de desemprego e superávit primário dividiam as atenções com a agenda corporativa, com Fleury e Unidas dando sequência à temporada de balanços do primeiro trimestre, enquanto a Lojas Renner concluiu sua oferta primária restrita de ações de 4 bilhões de reais.

O dia na B3 marca ainda a estreia das units do Banco Modal e o leilão para concessão da comapnhia fluminense de saneamento básico Cedae.

(Por Aluísio Alves)